quarta-feira, 28 de novembro de 2007



VOCE TEM MÊDO DE QUÊ?


Você já parou prá pensar porque sente medo e qual a sua causa? O que te deixa paralisado, sem reação, com a sensação de incapacidade para enfrentar certas situações? Este sentimento apesar de muito complexo e enraizado, é apenas uma ilusão do ego.

Eu Superior = Reflexo da Totalidade = O Todo e Eu somos UM
Ego = Reflexo da Separatividade = O Todo está além de mim, portanto sou só e fraco = medo

O sentimento do medo faz parte da cultura humana, pois é muito comum as pessoas que acreditam serem mais fortes ou superiores dominarem aquelas que se julgam mais fracas. O sentimento de incapacidade ou de fraqueza é o resultado da crença ilusória da separatividade entre o Todo e o indivíduo.

Somos o que acreditamos ser.

Somos as nossas próprias crenças e responsáveis pela nossa própria vida, pelo que desejamos e atraímos. Aqui cabe lembrar a história de Davi e Golias, mostrando que nem sempre aquele que parece mais forte é...

A causa da maioria dos medos está enraizada na nossa experiência diária, pois desde que nascemos, somos levados a acreditar na nossa incapacidade através de imagens criadas pelos nossos pais, por alguns professores, pelos nossos “mui amigos” e pela sociedade também.

Deveríamos ser aquilo que determinaram para nós, ou seja, reflexos dos seus desejos, fraquezas, preconceitos, decepções e recalques, mesmo que inconscientes. Não estamos julgando se a intenção deles é prejudicar ou não, pois a maioria realmente é inconsciente do seu próprio Eu. Esse sistema acompanha a história humana há milênios.

Deveríamos ser seguidores obedientes, que não retrucam e nem lutam contra a manipulação ou dominação. Por exemplo: é comum durante a nossa infância escutarmos conselhos como: não faça isso senão o monstro te pega! - não para nos proteger, mas para nos ter sob controle. Um monstro no nosso inconsciente é algo que está muito além da nossa capacidade humana não é mesmo? Diante dessa imagem aterradora nos sentimos inferiores e assim vamos tornando-nos “ilusoriamente” fracos e oprimidos diante dos desafios. Não quero dizer que os outros sejam totalmente responsáveis pelos nossos medos; nós também somos responsáveis sendo passivos, pois a vida sempre nos dá a oportunidade de nos rebelarmos e descobrirmos a verdade sobre nós mesmos, de vencermos os nossos medos nos colocando frente a frente com eles.

Dizem que o medo nos protege em questões de sobrevivência, tudo bem, mas até que ponto o medo real se confunde com o medo irreal e nos paralisa em relação as nossas questões mais profundas? Ser cuidadoso e consciente é diferente de ser medroso. A maioria das pessoas tem medos infundados, principalmente em relação a si mesmas. Isso reflete baixa auto-estima, estagnação diante dos problemas, incapacidade de agir, de tentar por medo de errar.

Para vencer o medo, precisamos resgatar o herói que existe dentro de nós. O Herói ou heroína é o Eu Integral, aquela parte de nós que está eternamente ligada ao Todo, que possui a sabedoria e força necessária para transpor qualquer obstáculo interior ou exterior. O Herói é aquele que liberta do “mal”, ou seja, da sombra, da nossa ignorância em relação a nós mesmos.

Precisamos nos conscientizar que somos capazes de enfrentar a vida em todos os seus aspectos, seja em circunstâncias difíceis, durante doenças ou quando temos que encarar pessoas aparentemente mais fortes, (ninguém é melhor ou pior do que ninguém), etc.. É preciso acreditar na nossa própria luz, na nossa capacidade divina de solucionar qualquer problema. É preciso estar ciente do Todo e da sua força libertadora.

A meditação tem o objetivo de ajudar aos que praticam a encontrarem as respostas para as suas dúvidas e inquietações. Este trabalho é direcionado ao ser integral, e propõe o resgate da identidade cósmica de cada ser, à reintegração e religação ao Todo em consciência.

Amor sempre Amor,

Namastê,

Márian



quinta-feira, 22 de novembro de 2007



COSMOSOFIA - A ESSÊNCIA DA VIDA UNA

A Cosmosofia é um conjunto de princípios éticos universais necessários para que a Harmonia prevaleça em todos os níveis. Ela é inata na essência do ser humano, mas infelizmente está encoberta por conceitos e crenças adquiridos durante a existência de cada um, por séculos de desvirtuação do plano divino original onde reina a felicidade suprema.

A inconsciência da divindade existente em nós nos afastou da realidade, nos deixando fragilizados, confusos e esquecidos de quem somos. Assim durante tempos e tempos, seguimos praticamente cegos numa direção totalmente ilusória, deixando-nos levar apenas por exterioridades.

Felizmente no atual momento que estamos vivendo, portas para a Realidade se abrem nos mostrando um campo infinito de possibilidades, relembrando que o caminho para o interior de nós mesmos é a fonte da Verdade, o retorno à Consciência Cósmica.

Atualmente a ciência vem se aproximando da Verdade contida nas antigas filosofias, constatando a interconexão existente entre todas as coisas e que a realidade é muito mais ampla do que os nossos olhos físicos podem ver. Outras dimensões e universos paralelos estão sendo descobertos e comprovados, revelando o quanto precisamos nos abrir para novas idéias e novas perspectivas de vida. 

O estudo e vivência da Cosmosofia nos desperta para esse novo tempo de mudanças que se fazem necessárias para que possamos viver a harmonia plena e a paz, estabelecendo então, verdadeiras relações humanas, convivendo uns com os outros sem competições, praticando a aceitação, a paciência, a humildade, a simplicidade, o respeito pelo outro e pela natureza.

A Meditação Soluz ensina a Cosmosofia baseado nos ensinamentos do Mestre Jesus, de Soluz, e das antigas filosofias orientais como o hinduísmo e a cabala.

Lembremo-nos sempre que o Amor puro e eterno está no comando de tudo e que a Luz sempre prevalece em todos os planos...

Márian

segunda-feira, 19 de novembro de 2007


UMA PRISÃO CHAMADA PRECONCEITO

Como temos visto, o preconceito tem sido a causa de grande parte do sofrimento humano. Os preconceituosos e os descriminados por esses, são todos vítimas da ignorância sobre o assunto, pois desconhecem que os preconceitos são gerados a partir de julgamentos errôneos baseados em sentimentos de baixa auto-estima, egocentrismo e outros “ismos”.

Será que as pessoas já pararam para pensar de onde vem a sua rejeição por pessoas de outras raças ou que tenham uma formação diferente da sua ou ainda a indiferença que sentem por outras? Elas se julgam realmente melhores ou na verdade o que elas têm é um grande temor de serem mais fracas ou piores? Baseadas em quais parâmetros são feitos esses julgamentos e rotulações que acompanham a humanidade através da história, separando seres humanos em grupos onde as diferenças são vistas como empecilhos para uma convivência pacífica e enriquecedora?

O preconceito nos aprisiona, pois ele não deixa que enxerguemos além, que tenhamos novas experiências. Precisamos nos abrir para novas idéias, novas perspectivas, ir fundo nos nossos sentimentos e questionarmos a sua causa. Será que estamos satisfeitos com a nossa pessoa? Será que nos sentimos ameaçados de alguma forma? Por que e por quem? Aceitamos o nosso ser como ele é ou estamos sempre querendo ser outra pessoa? Por que nos julgamos superiores ou mesmo inferiores?

Acho que o preconceito maior é aquele que sentimos por nós mesmos, por não acreditarmos na nossa capacidade de enfrentar a vida. Normalmente nos apegamos a imagens ilusórias incutidas na nossa mente por julgamentos milenares que nos apontam e às vezes nos castigam. Nos deixamos levar por essas marcas e nos condenamos à separatividade, criando grupos elitizados, alimentando ainda mais o preconceito.
Ainda bem que alguns se rebelam e conseguem enxergar que o preconceito é uma forma de prisão, que paralisa e cega, pois realmente é um sentimento ilusório e triste que afasta as pessoas umas das outras criando conflitos e desamor.

E o que podemos fazer para nos libertarmos disso?

A espiritualidade nos ensina que a solução está na aceitação de que existe luz em todas as criaturas e circunstâncias e que as diferenças que existem são para serem somadas, pois elas se completam. Nada pode ser mais enriquecedor do que o aprendizado através do relacionamento entre as pessoas. Como é reconfortante descobrir no outro o mestre que estávamos esperando para esclarecer aquela dúvida enlouquecedora, não é mesmo?

A cada dia surgem novas oportunidades de crescimento, por isso precisamos estar atentos e livres para viver com profundidade tudo o que nos é colocado, sem preconceitos, abrindo o coração e a mente para o novo, o inusitado, o diferente, o estranho, observando, ouvindo, aprendendo.

Paz.

sábado, 17 de novembro de 2007






PRINCÍPIOS UNIVERSAIS
por Soluz

Existe ordem no caos, não existe o acaso. No Universo existem princípios que coordenam a Harmonia, pois tudo tem uma razão de ser e um objetivo que precisa ser salvaguardado. Essas leis estão interligadas. Cada uma contém em si a outra e todas são sintetizadas pela primeira. Não adianta seguir apenas uma delas para conquistar a plenitude, é preciso se orientar pelo conjunto para encontrar o equilíbrio.

O objetivo sagrado é a União em Consciência aoTodo e por mais primitiva que seja uma forma, um ser, a sua meta é sempre o aprimoramento para alcançar a plenitude. No início esse objetivo é inconsciente, mas é ele que impulsiona a alma a buscá-lo sempre. A jornada espiritual acontece através de vários planos ou dimensões, seguindo ciclos em uma espiral contínua e pela transformação se realiza.

1. UNIDADE OU LEI DO AMOR
Tudo o que existe, em todos os planos, é um reflexo do Uno; tudo emana da Unicidade e a ela retorna. Esses dois movimentos - o da emanação e o do retorno - constituem a base do ensinamento esotérico sobre o desenvolvimento cíclico de tudo o que evolui. Essa evolução se faz por meio da divisão múltipla da unicidade primitiva, do retorno sucessivo a uma unicidade mais perfeita e de uma nova divisão e multiplicação dela. O Amor é a expressão da Unidade que através da doação se manifesta.

2. VIBRAÇÃO E MOVIMENTO
A unidade se divide e se multiplica (o que está acima é semelhante ao que está embaixo). A essência se reflete na substância gerando movimento. O espírito cria a matéria para que o Amor possa ser vivificado em toda a sua plenitude. A energia ou vibração é o resultado da fricção de dois pólos diferentes e portanto para que a evolução aconteça é necessário que a experiência ou o movimento entre os pólos manifeste uma força ascendente e reintegrativa. Ativo e passivo são pólos contrários necessários para o movimento de retorno à unidade e é preciso encontrar o ponto de equilíbrio entre os dois para que a Harmonia prevaleça.

3. CAUSA E EFEITO OU AÇÃO E REAÇÃO (KARMA)
Toda ação gera uma reação. Toda manifestação é o resultado de uma ação. Tudo tem uma razão de ser, não existe o acaso. Todas as manifestações circunstanciais só têm um propósito: a evolução, o retorno à unidade. As escolhas pessoais devem ser sempre baseadas não só em benefício próprio, mas também no bem estar coletivo, pois qualquer distúrbio em uma das partes da criação provoca desequilíbrio no Todo. A situação atual da humanidade deve-se ao pensamento egoísta e separatista causador da desarmonia e do conflito.

4. MANIFESTAÇÃO
A manifestação é a exteriorização da vontade divina. Somente através da materialização tem-se a oportunidade de evoluir, pois é através da experiência da vida, da fricção entre pólos que se compreende o caminho. A matéria é regida por ciclos para que a evolução aconteça de forma harmoniosa. Nascer, crescer, amadurecer, morrer, se transformar e dar início a um novo ciclo. A lei do karma funciona aliada aos ciclos, trazendo à manifestação, conforme a lei da atração, provas necessárias para a evolução.

5. HARMONIA
A evolução é o resultado da conscientização e esta é adquirida através da experiência profunda dos mundos internos. É preciso estar conectado com a Vontade Superior para harmonizar os aspectos duais (sombras) sintetizando-os em Unidade. A Harmonia (beleza) é o resultado de escolhas sensatas baseadas na Unidade e é necessária para o andamento do processo evolutivo para que não haja desvios e resultados indevidos que o atrasariam.

6. LIVRE ARBÍTRIO
Afirmando que "a escolha é livre e o resultado pré-determinado", a tradição esotérica se refere ao livre arbítrio pessoal consciente e à responsabilidade pelas conseqüências dessa escolha ou decisão. Subjetivamente o arbítrio é livre e, portanto, inevitavelmente sujeito às conseqüências kármicas. O karma do momento é a conseqüência das escolhas e decisões feitas no passado, pois o karma e o livre arbítrio estão estreitamente ligados.

7. EVOLUÇÃO
A evolução é o resultado da conscientização e esta é adquirida através da experiência. A experiência é a grande oportunidade que o Espírito nos oferece ao se refletir na matéria exprimindo a idéia do Amor Incondicional, deixando que a sua criação siga livre para se expandir e evoluir, compartilhando o milagre da existência. A evolução é inexorável e infalível independentemente das escolhas individuais, pois como a energia do Amor é a criadora e mantenedora do Plano Divino, essa grande força cuida para que a harmonia seja sempre restaurada quando necessário de acordo com a lei da reação, ou seja, a lei do eterno retorno. Expansão e contração, a eternidade fluindo inexoravelmente em ciclos, por ciclos e ciclos.

8. ATRAÇÃO
Semelhante atrai semelhante. Vibrações análogas se atraem formando egrégoras que tem como finalidade a Harmonia Universal. Atraímos tudo o que intencionamos, seja positivo ou negativo. Somos co-criadores e, portanto, responsáveis pelo nosso universo individual e também pelo coletivo. Como ficou expresso anteriormente nas outras leis, tudo tem um significado, uma causa e um objetivo e devemos pensar e agir sempre com consciência meditando sobre as causas, conseqüências e karma gerados.

9. CICLOS OU RITMO
Tudo é energia, movimento, causa e conseqüência para que a evolução aconteça. Isso tudo envolto pela eternidade, sem começo nem fim. A evolução é vista como uma estrada em espiral, por onde viajamos olhando os acontecimentos e interagindo de acordo com o conhecimento conquistado. A cada volta da espiral adquirimos mais sabedoria através da experiência e sempre que as circunstâncias se repetem de acordo com a harmonia e o karma temos a oportunidade de vivenciá-las de uma forma mais aperfeiçoada. Ciclos e ciclos, intermitentes e eternos; quando terminamos a experiência em um nível passamos a outro mais elaborado.

10. LUZ E TREVAS
É necessário atravessar o deserto, abismo ou descer aos infernos para encontrar a luz. É preciso enxergar as sombras interiores, reconhecê-las, enfrentá-las e dominá-las. Somente quem corajosamente lutar na escuridão e esclarecer todas as dúvidas sobre si mesmo liberando a mente de preconceitos, crenças e todo o tipo de limitações criadas pelo ego poderá enxergar a luz e se libertar dos grilhões da ignorância e do medo. Luz e trevas caminham juntas e só o discernimento alcançado através do conhecimento profundo de si mesmo pode avaliar a escolha certa e definir o caminho a seguir.

11. ACEITAÇÃO OU REDENÇÃO
A compreensão plena de todas essas leis, interiorizando-as e incorporando-as integralmente resulta na Redenção ou União ao Todo, a entrega em corpo e alma à Unidade, à Vontade Divina. A individualidade não luta mais e transforma-se em servidor. É alcançada a compreensão de que tudo e todos caminham para a luz independentemente das escolhas individuais, pois existe um Plano de Amor que transborda compaixão, que vivifica e é a base de toda a criação, nos nutrindo sempre e irradiando-se em todos os planos e direções, doando-se em novas oportunidades para a evolução. A conquista ou resgate da Consciência é conseqüência da transcendência e a entrega total à Vontade Divina é o final da busca do peregrino e o retorno à unidade em consciência.

Márian

domingo, 4 de novembro de 2007

ALÉM DO SEGREDO

Ao observar as pessoas comentando sobre o filme “O Segredo” e como a lei de atração tem sido vista por algumas delas apenas como um meio de adquirir bens ou poder pessoal, achei que seria bom nos lembrarmos da verdadeira meta de todo ser humano: a Realização Interna.

O “segredo” que nunca foi segredo e muito menos uma fórmula milagrosa é um dos princípios universais necessários para caminharmos com serenidade e lucidez pela vida. Estes princípios devem ser observados em conjunto, pois todos são imprescindíveis para a harmonia individual e coletiva e não funcionam separadamente.

Realmente podemos atrair tudo aquilo em que colocamos emoção ou intenção, mas é preciso ter responsabilidade, meditando sobre os verdadeiros motivos e também nas conseqüências da materialização dos mesmos. A auto-observação deveria ser constante em nossas vidas, fazendo-nos questionar sempre a razão dos nossos sentimentos e dos nossos desejos, aprofundando nas suas raízes. _"Será que o desejo de possuir está relacionado ao poder de controlar, de ser aprovado pelos outros ou ainda pela baixa auto-estima, tentando compensar carências comprando coisas sem nenhuma necessidade apenas para suprir um vazio não pesquisado e muito menos compreendido?" Como podem ver, tudo muito complexo para ser resolvido da noite para o dia.

Notamos que a maioria das pessoas ainda é apegada a sentimentos, preconceitos e comportamentos que as fazem mergulhar em um mar de negatividade, culpando os outros e as circunstancias da vida. Esperam que soluções milagrosas resolvam os seus problemas, desconhecendo a responsabilidade que têm sobre a sua própria transformação e realização pessoal, pois isso sempre demanda grande esforço, disciplina e determinação. É mais fácil se deixar levar por promessas vãs baseadas em exterioridades, gerando expectativas ilusórias sobre o futuro e cobranças de resultados fictícios que nunca poderão ser alcançados, resultando em decepção e sofrimento.

Toda essa dor é originada na separatividade, na dualidade, na falta de fé na Abundância Divina e isso tem sido a causa da miséria maior, a falta de amor que rege o egoísmo e sustenta a crença no poder monetário. De que nos adianta adquirir bens materiais, se a alma está adoecida por inveja, baixa auto-estima, ódio e toda a sorte de mazelas? Precisamos perceber que somos partes de um Todo, de um grande organismo, e a Grande Consciência que nos rege sabe quais são as nossas necessidades para que possamos evoluir, nos suprindo sempre. Precisamos simplesmente estar conectados a ela para sermos banhados pela Graça.

É necessário compreender que a abundância ou a falta de dinheiro não são apenas demonstrações da capacidade de atraí-lo ou não, mas a conseqüência de vários outros fatores relacionados ao karma e missão de vida de cada um. Tudo tem uma razão de ser e todas as provas e circunstancias da nossa existência são atraídas por nós mesmos como grandes oportunidades de crescimento espiritual. Ao nos conscientizarmos disso, com certeza todas as angústias se dissiparão e poderemos viver o aqui e agora com mais profundidade e tranqüilidade.

Ser próspero é ser feliz, e isso pode significar ter apenas o suficiente para a sobrevivência, pois a verdadeira felicidade está na descoberta de si mesmo, na realização interna e na simplicidade de ser, e não na quantidade de bens que se possui. Se formos responsáveis e assumirmos o nosso verdadeiro papel como co-criadores, portadores da Luz Divina; e, principalmente se estivermos agradecidos pelo maravilhoso milagre da vida, TRABALHANDO SEMPRE PARA O BEM COMUM, todas as dádivas nos serão ofertadas, e seremos presenteados com o bem maior, a CONSCIÊNCIA DE SER, A UNIÃO COM O TODO.

No Amor e na Luz,
Márian