segunda-feira, 29 de dezembro de 2008


NATAL
De acordo com a tradição cristã, desde o século IV o nascimento de Cristo é comemorado no dia 25 de dezembro, mas segundo estudos, essa não é a data real. Na verdade, este dia foi adotado pela Igreja Católica para que coincidisse com a data da festividade romana dedicada ao "nascimento do deus sol invencível"(Natalis Invistis Solis), que comemorava o solstício de Inverno.
Entre os dias 17 e 22 de dezembro os romanos também celebravam a Saturnália, festa em honra ao deus Saturno, um período de alegria e troca de presentes e no dia 25 de dezembro era festejado o nascimento do deus persa Mitra, chamado Sol da Virtude. Portanto, a igreja em vez de proibir essas festividades, mudou o seu significado num esforço para converter os pagãos.

Bem, independente se esta é ou não a verdadeira data do nascimento de Jesus, o que importa é o que a sua mensagem representa para nós. Esse ser iluminado surgiu na Terra há 2008 anos para nos trazer a chave da realização do reino de Deus, não só dentro de nós, mas em todo o nosso planeta.

A mensagem de Amor que ele nos deixou liberta, regenera e exalta a divindade existente em todas as criaturas. Nos poucos anos em que viveu aqui, ele nos ensinou a servir com humildade e compaixão aos nossos semelhantes sem esperar nada em troca e a estarmos sempre agradecidos pela vida que o Pai nos ofertou. Mostrou que o caminho do amor e da paz nos leva diretamente a Luz do entendimento.

A celebração real do Natal é o despertar interior da Consciência Crística. Adquirimos essa consciência quando alcançamos o entendimento e a experiência da Unidade, quando em meditação expandimos a nossa consciência e nos sentimos o próprio universo de amor, e percebemos a nossa interligação com tudo o que existe. É o Cristo que nasce em nós. Compreendemos que a nossa mente é uma pequena onda no oceano da Consciência Cósmica no qual Cristo habita.

Para celebrarmos verdadeiramente o Natal, precisamos sentir a presença do Cristo dentro de nós por meio de profunda meditação devocional e de uma firme resolução de moldar as nossas vidas em Jesus - sempre compassivo e pleno de amor por Deus. O espírito sublime e imbatível de Cristo refletia sempre a sua unidade com o Pai Celestial e ele nos demonstrou não só em palavras, mas também em cada passo seu como deixar de lado o pequeno eu para servir e amparar o próximo, substituindo atitudes negativas e hostis por sentimentos de bondade e perdão.

Neste Natal, vamos meditar nas palavras amorosas e eternas de Jesus, nos seus ensinamentos de sabedoria, e encontraremos inspiração e renovação refletindo reverentemente sobre sua vida altruísta. Façamos das divinas qualidades de Jesus não apenas ideais a serem admirados a distância, mas verdades a serem praticadas pessoalmente, a fim de trazer luz e alegria a cada aspecto da nossa própria existência.

Se meditarmos profundamente todos os dias, iremos conhecer o Cristo personificado como uma Presença vibrante em nossas vidas; e, com crescente devoção, perceberemos o “pequeno eu” envolvido pelo “Cristo Infinito”. No silencio interior, invoquemos Cristo constantemente em oração: “Ó meu Cristo, torna-te real para mim. Vem a mim. Eu te dou meu amor”. O ardor magnético de nossos corações atrairá as bênçãos onipresentes do amor de Deus e de Cristo. Receber e oferecer esse Amor Divino é a alegria do Natal.

Vamos orar para que o verdadeiro espírito sagrado do Natal, o espírito sempre vivo de Cristo, preencha nossos corações e lares, agora e ao longo do Novo Ano.


Assim seja!
Márian

terça-feira, 18 de novembro de 2008



TRANSIÇÃO PLANETÁRIA II - HORA DE DESPERTAR


Como foi dito no nosso artigo anterior a Terra está passando por uma transição dimensional e junto com ela toda a humanidade. Nessa oportunidade, as consciências que se empenharem na sua transformação interna, superando os limites materiais, desmascarando seu ego e assumindo sua divindade, permanecerão na superfície terrestre, dando início assim a uma era de Luz.

Esta transformação é inevitável, faz parte da nossa evolução. As leis universais executam com esmero o seu trabalho de harmonizar constantemente o Todo e de tempos em tempos o Kosmos se movimenta para nos lembrar do nosso verdadeiro objetivo, para onde estamos caminhando. Não adianta mais tapar os olhos para o que está acontecendo, pois turbilhões vibracionais nos atingem, fazendo-nos movimentar, fazendo-nos tomar decisões e escolhermos de qual lado vamos ficar.

A mudança da Terra não vai esperar pelos indecisos, pelos que gostam de observar de cima do muro, ela virá independente da vontade dos adormecidos. Ela vem pelo que foi dito no parágrafo acima e pelos apelos daqueles que anseiam por Amor, Paz, Liberdade e União. São esses os “escolhidos”, os “resgatáveis”. São consciências despertas, que reconhecem a potencialidade divina existente em cada um, que acreditam na unicidade que existe entre todas as coisas e assumem a responsabilidade que cada um tem em relação ao Todo. São esses que escutaram o chamado interno e não titubearam em atendê-lo buscando forças no poder do Amor para lutar contra as suas próprias sombras.

Chegou a hora de despertar para a Luz, para a Verdade, sem medo de enxergar o nosso verdadeiro ser, portanto deixemos de lado o desânimo, a amargura, a impaciência, a falta de fé e mudemos, mudemos de uma vez por todas. Ao contrário do que tememos a nossa verdadeira face é luminosa e sábia e possui todas as ferramentas necessárias para seguir adiante e construir um novo mundo.

Realmente é muito difícil se desapegar de tudo o que foi incutido na nossa mente pelo “sistema”, daquilo que criamos inconscientemente para a nossa personalidade dessa e de todas as outras nossas existências, mas é preciso acreditar que não somos isso. Não somos o egoísmo, não somos a inveja, não somos incapazes, não somos a guerra, não somos conflito, não somos competição, não somos nada que seja a expressão das trevas, pelo contrário, somos Inteligência, Compreensão, Luz, Amor, Paz e União.

É preciso entender que o medo de morrer pela falta de alimento físico é primitivo e que não condiz com uma mente livre, pois é através desse principal medo primário que o “sistema” nos aprisiona. Precisamos nos reconectar à abundância divina acreditando com fé na sua capacidade de nos nutrir e assim nos libertarmos desta escravidão a que estamos subjugados. É preciso acreditar na supremacia do espírito e na eternidade, que estamos aqui para seguirmos por uma estrada de Luz e não para nos perdermos em caminhos tenebrosos que exaltam o falso “poder mundano”.

Ao contrário do que é dito, SIM A FELICIDADE É POSSÍVEL e é a nossa principal meta, mas nós só a conquistaremos quando aprenderrmos a SER e a SERVIR. Para SER, é preciso antes de tudo acreditar no ABSOLUTO, na GRANDE CONSCIÊNCIA CÓSMICA, causa e objetivo de tudo o que existe e assumir a nossa filiação, a nossa capacidade de criar, transmutar e então VIVER o grande milagre da existência com gratidão e reverência. É aceitar o seu ser como ele é; as suas limitações e também as suas potencialidades. Para SERVIR, é preciso reconquistar a alegria de viver com simplicidade e vivenciar as relações com sinceridade e amorosidade, aceitando o outro com as suas diferenças, aprendendo com ele, compartilhando experiências e conhecimento. É trabalhar não só por sua libertação, mas pela comunidade. É fazer todas as coisas com abnegação e profundidade, dando tudo de si sem medo de perder-se e sem esperar reconhecimento ou agradecimento.

Entendam definitivamente que não podemos nos deixar dominar por nenhuma espécie de medo, é preciso acreditar em Deus e na nossa conexão com ele, na nossa capacidade de lidar com qualquer coisa que nos surja pelo caminho. A nova humanidade precisa de pessoas corajosas e livres, pois só os livres herdarão a Terra.

Não estamos sós nesta epopéia, nossos amigos interdimensionais nos aguardam preparando suas naves e bases intraterrestres para nos abrigar durante os momentos mais turbulentos da transição. A ajuda dos nossos irmãos tem sido imprescindível para que compreendamos o nosso processo. É certo que a Verdade se encontra dentro de cada um de nós, mas devido a nossa tumultuada caminhada cósmica, precisamos de alguns cutucões e até mesmo do destamponamento da nossa visão etérea para enxergá-la, trabalho que tem sido feito incansavelmente pelos nossos amigos.

Bem meus queridos, chegou a hora do Resgate (da Luz), do reencontro. A festa começou...

No Amor e na Luz,

Márian

quinta-feira, 23 de outubro de 2008



TRANSIÇÃO PLANETÁRIA E O ÍNICIO DE UMA NOVA ERA

Há muito tempo a humanidade vem sendo preparada para este momento, recebendo informações da espiritualidade e dos nossos irmãos interdimensionais, no sentido de nos aprofundarmos nas nossas questões mais sombrias com coragem e determinação para que, quando chegasse a hora, pudéssemos nos elevar junto com a terra para uma nova dimensão.


Essa transformação já está acontecendo e as pessoas mais sensíveis já estão percebendo uma aceleração nas suas vibrações, também sentem inexplicavelmente que alguma coisa está para acontecer e o tempo parece “voar”.

Já observaram quando uma tempestade se aproxima, os animais ficam em alvoroço e instintivamente procuram abrigo? Nós também temos essa percepção e sempre que algo está prestes a acontecer conosco, um alerta soa dentro de nós nos colocando de prontidão, prontos para agir.

Ação não só física, mas espiritual também. Diante de uma transição planetária tão importante, o nosso SER INTERNO sabe que precisamos mudar, que precisamos nos aprimorar como seres humanos e nos elevarmos espiritualmente. Ele sabe que a sua missão terrestre precisa ser cumprida e luta para levar adiante o seu propósito de religar-se conscientemente à LUZ, de ser o AMOR VIVIFICADO em todos os instantes da sua existência e de SERVIR aos seus irmãos sem limites. Portanto, diante desta mudança iminente, o nosso SER atrai para si todas as questões pendentes, pois ele não deseja perder essa grande oportunidade, ele não quer deixar prá depois, porque o depois será uma repetição de nível, de aprendizado. Ele sabe que não adianta construir uma casa longe da cidade e continuar cultivando apegos emocionais e materiais, ele sabe que é preciso ter coragem e deixar prá trás todos os cacoetes egoístas, mergulhando profundamente dentro de si e encarando as suas sombras de frente.

Durante este período que antecede o ápice da mudança, tudo aquilo que precisa ser transmutado, lapidado e jogado fora, vai estar diante de nós com intensidade, mexendo conosco, provocando o nosso ego. Sem dúvida, uma oportunidade e tanto de reconhecê-lo, aceitá-lo e transmutá-lo, e mais do que nunca precisaremos estar centrados, conscientes do nosso EU, meditando e orando.

É interessante procurar outras almas que têm o mesmo objetivo, pois além de ser enriquecedor, isso funciona também como um acelerador, ativando as áreas internas mais carentes e que precisam urgentemente ser modificadas. Sabemos que o nosso ego é estimulado no convívio com outras pessoas, por isso é importante mantermos sempre esse contato para que enxerguemos as suas artimanhas e nos libertemos das suas amarras. Fora isso, dar as mãos e caminhar juntos, uns ajudando os outros é sem dúvida muito reconfortante.

Em relação às catástrofes, todos serão avisados com antecedência e poderão ou não seguir para locais seguros, depende do propósito ao qual se comprometeram. É necessário compreender que preservar a vida física é muito importante para que o processo evolutivo da humanidade continue, pois a alma só se liberta através da experiência na matéria.

O tempo urge e não podemos deixar escapar essa ocasião tão magnífica. Portanto, peçamos ajuda ao alto, peçamos luz à Sabedoria Divina e oremos. Oremos com humildade não só por nós mesmos, mas por toda a humanidade para que de uma vez por todas nos libertemos do medo e da ignorância, que possamos conhecer a VERDADE em toda a sua plenitude e exercê-la.

Relembremos tudo o que recebemos como orientação sempre com a mente livre e o coração aberto. Lembremos continuamente da nossa ligação com o Todo, da nossa capacidade imensa de criar, transmutar e perdoar. Procuremos manter a serenidade em todos os momentos, mesmo nos mais difíceis (daqui prá frente eles vão ser muitos). Irradiemos amor e compreensão a toda a criação, ajudando o PLANO DIVINO a ser restabelecido na Terra dando início assim a uma era de PAZ e de UNIÃO, onde o AMOR será seu regente maior.

Namastê!

Márian



CRISE FINANCEIRA - QUAL É O VALOR DO DINHEIRO?


Vimos, nos últimos dias, um verdadeiro caos no sistema financeiro mundial. Bancos falindo, queda nas bolsas do mundo inteiro e uma total falta de perspectiva sobre o futuro dos mercados. Presenciamos os governos das grandes economias criarem planos de ajuda baseados em dinheiro sem lastro e que não transmitem confiança, pois todos já sabem que aqueles que comandam e dirigem as instituições financeiras é que serão os verdadeiros beneficiados.

Bem, este caos já era previsto não só pela espiritualidade, mas também por alguns cientistas econômicos. Como todos sabem, estamos vivendo um período de transformação e isso inclui não só a restituição dos verdadeiros valores, mas também a queda de um sistema no qual a ilusão na matéria e no poder monetário sobrepujou os mais fracos, alargando a linha divisória entre a riqueza e a pobreza, aumentando a desigualdade humana em todos os sentidos.

Talvez furacões e tsunamis sejam catástrofes menores diante da fome e da miséria, reflexos tristes do egoísmo e da negligência humana. A falta de compaixão e de companheirismo entre nós gerou um sistema no qual reinam o conflito e a competitividade, onde a desculpa pela sobrevivência nos fez esquecer que somos todos irmãos. Isso gerou um karma que só será dissolvido quando entendermos qual é o verdadeiro valor do dinheiro, baseado em quê ele foi criado, o que ele simboliza, qual é sua função e seu objetivo.

Se formos pesquisar na história, o dinheiro foi criado para facilitar o sistema de trocas que era baseado na necessidade de cada um. Mas, os seres humanos egoístas viram nele um instrumento para alcançar o poder e também descobriram que ele podia ser multiplicado não pelo esforço, mas pela especulação. Começaram a emprestar e vender dinheiro, cobrando juros em cima de juros, torcendo para que os seus devedores ficassem com dificuldades para quitar suas dívidas e assim pudessem tomar seus bens, expandindo ainda mais suas riquezas. Enfim, se enriqueceram à custa da ingenuidade e miséria alheias.

Movidos por esses sentimentos fizeram guerras, tomaram terras, fizeram escravos, entupiram seus cofres de ouro e de prata, sempre querendo mais, muito mais até que chegaram nesta situação, sufocados por sua ganância sem limites. Cegos pela cobiça não perceberam que estavam caindo no abismo. Bem, agora é tarde, nenhum plano de ajuda dará fim a essa crise financeira e esse sistema finalmente sucumbirá. O dinheiro deveria circular, deveria ser compartilhado assim como toda energia, mas alguns quiseram retê-lo somente prá si e isso gerou o apodrecimento da humanidade.

Seus fiéis seguidores acreditaram tanto no seu poder que se esqueceram de quem realmente são; viraram zumbis que, transtornados, pensam ser os bens que possuem e que, se os perderem, deixarão de existir. Parece loucura, não? E É. Eles estão perdidos e desesperados por ainda não perceberem a espiritualidade como causa e objetivo de tudo o que existe; ainda estão apegados à matéria e aos prazeres ilusórios ligados a ela. Até mesmo pessoas bem intencionadas e que se dizem espiritualizadas se deixam levar pelos caminhos enganosos da matéria e tentam justificar seus ganhos, às vezes exorbitantes, dizendo que o dinheiro é criação divina.

Para acessar um novo nível de consciência a humanidade vai precisar sair desse abismo conscientizando-se de que todos nós precisamos uns dos outros e de que ninguém é melhor do que ninguém; que os bens materiais e o poder mundano não trazem felicidade e que apenas o SERVIR INCONDICIONALMENTE pode realizar o SER.

O ser humano vai precisar aprender a se conectar com a abundância e a bem aventurança divina, se abrindo para receber as graças da Luz, vivendo cada instante da vida como uma dádiva! Vai precisar aprender a doar sem limites, compartilhando com seu irmão e irmã sem restrições e sem pensar no dia de amanhã; só assim poderemos criar um novo sistema baseado na fraternidade e igualdade, onde todos tenham as mesmas oportunidades e o seu valor como ser humano reconhecido, independentemente de raça ou qualquer outro mérito mundano.

Uma nova Humanidade, uma nova Terra.

No Amor e na Luz,


Márian

sexta-feira, 17 de outubro de 2008


REALIDADE - VOCÊ QUER MESMO ENXERGÁ-LA?


Como poderemos enxergar a REALIDADE se estamos totalmente cegos por essa "falsa realidade” que foi incutida em nossas mentes durante toda a nossa vida?


Enquanto estivermos cegos por preconceitos, crenças e principalmente pelo medo não conseguiremos ver os contornos suaves e amorosos da REALIDADE. Enquanto estivermos cegos pelo ódio, pela inveja, pelo ciúme e pela ignorância espiritual não poderemos perceber a paisagem divina que nos rodeia.


A humanidade atualmente está tão acostumada com cenas de violência, terrorismo, roubo, traição, desunião, que quando lhe dão a oportunidade de enxergar a paz, a beleza e a alegria, ela se assusta e se nega a manter o olhar firme nessa direção. Vira o rosto e diz: isso é mentira, eu não acredito, é impossível isso acontecer, e permanece assim, cega...


Será que é tão difícil se abrir para novas possibilidades? Vocês já devem ter ouvido o ditado: “Pior cego é aquele que não quer ver, não é mesmo? É preciso se desapegar da mente racional e escutar somente o coração, a intuição; é preciso ter a mente livre e o coração aberto para o novo, o inusitado.


A história da humanidade em breve deve ser reescrita, pois ela é bem diferente daquela que aprendemos nos livros da escola. Novos fatos virão à tona, retirando os véus que encobrem a nossa verdadeira origem. A ciência está muito próxima de encontrar as respostas que busca há tanto tempo, e talvez essas descobertas não sejam tão surpreendentes, pois há muito os cientistas desconfiam do óbvio: NÃO ESTAMOS SÓS NO UNIVERSO!


A REALIDADE é bem mais ampla do que os nossos olhos físicos podem ver, existem outras dimensões e também seres que as habitam. Basta pesquisar na mídia e na internet para encontrar relatos, testemunhos, fotos, vídeos e mais vídeos comprovando a existência dos nossos irmãos extraterrestres.


Muitos dizem acreditar na sua existência, mas mesmo assim têm medo desta constatação, pois isso mudaria tudo, as suas crenças e os seus conceitos. O que é até compreensível, pois durante muito tempo ouviram dizer que eles são os únicos seres no universo e também foram levados a acreditar sem questionar em alguns dogmas religiosos que acabaram limitando-os. Dizem também que os ets são maus, que eles abduzem as pessoas, que são verdes ou cinzentos, répteis, que eles querem nos invadir, dominar, etc, etc, etc.


É claro que a criação é infinitamente diversa, mas os seres que habitam os orbes próximos ao nosso, são parecidos conosco e não são nada parecidos com os desenhos de répteis que estão espalhados pela internet. Eles também não comem carne humana; aliás, isso me lembra o mesmo discurso que a Igreja e o “sistema” usavam para descrever os comunistas há algumas décadas atrás.


Somos protegidos pelos seres de Luz, que cuidam sempre de afastar qualquer tipo de dominação negativa sobre nós, ou seja, cuidam para que seres mau intencionados se aproximem. Se isso acontece, e pode acontecer, é porque a força de atração exercida por seres humanos que ainda se alimentam de sentimentos com vibrações mais baixas é extremamente forte e a lei da ação e reação atua para que a harmonia prevaleça e todos tenham a sua chance de evoluir, mesmo que seja através do abismo. (esclarecimentos em artigo posterior).


Bem, o que eu quero salientar aqui, é que está mais do que na hora de acordar e abrir os olhos para uma nova REALIDADE. Nossos irmãos extraterrestres e intraterrestres estão aqui faz tempo, nos ajudando a encontrar o caminho de volta prá casa, ou seja, de volta prá Luz. Eles sempre estiveram presentes durante a nossa jornada terrestre e são merecedores da nossa confiança e amor. São nossos irmãos mais velhos, mais experientes, que caminham ao nosso lado, sem exigir nada em troca, apenas nos orientando para que façamos as nossas próprias escolhas. Eles não desejam ser idolatrados e não nos dão ordens para serem seguidas. Todo o seu trabalho é baseado nos princípios universais, e tem como único objetivo libertar o ser humano do medo e da ignorância, através do despertar da Luz que existe dentro de cada um de nós.


O mundo está mudando aceleradamente, as transformações em todos os níveis já estão aí, às portas. Apesar de muitos ainda dormirem, um grande número de pessoas já consegue vislumbrar a Luz e espera ansiosamente pelo renascer da humanidade. Este é um novo começo de uma era de paz e de união, de reintegração ao Todo em consciência, onde poderemos conviver em harmonia com todas as outras humanidades, somando as diferenças, aprendendo uns com os outros com igualdade e fraternidade.


Portanto, siga o seu coração sem medo, acredite naquilo que sente e deixe que a LUZ preencha o vazio criado pela dúvida e pela sombra. O seu EU MAIOR não se engana nunca, consulte-o sempre e não aceite mais ser dirigido pelo medo imposto pelo sistema que tenta encobrir a verdade a qualquer custo. Você nunca vai deixar de ser você mesmo se seguir a VERDADE que existe dentro de você. Você só poderá enxergar a REALIDADE se aceitar o NOVO como parte do futuro, e isso está muito próximo.


No Amor e na Luz!
Márian

sábado, 5 de julho de 2008




ESTADO DE GRAÇA


Como é gratificante viver! É maravilhoso receber a vida, a demonstração Divina do Amor, a Unidade Manifesta. O Amor Essência, o alimento e o propósito de tudo, sentimento sublime que significa simplesmente DOAÇÃO.

Estamos aqui no planeta Terra para aprendermos a SER O PRÓPRIO AMOR, compartilhando a nossa essência com os outros, independente de raça, formação, crenças ou nível de evolução. Precisamos aprender a somar as diferenças, multiplicando assim, forças para vencermos o nosso maior inimigo, o egoísmo. Viemos aqui para resgatarmos a nossa verdadeira identidade divina e assumirmos o nosso verdadeiro papel de co-criadores, irradiando sempre amor, paz, luz e harmonia. Resumindo, precisamos aprender a SER FELIZES e a COMPARTILHAR isso com os outros.

Infelizmente a maioria dos seres humanos não sabe disso e anda “preocupado” demais com questões mundanas, contas a pagar, pessoas a conquistar, ou até mesmo (que tristeza!) maquinando como derrubar o outro e assumir o seu lugar, não é mesmo? 

Às vezes é desalentador observar como as pessoas estão iludidas com as mentiras do sistema e se deixam levar por idéias competitivas e destrutivas, ferindo os outros e, como a lei de retorno não falha, a si mesmas. Estão totalmente presas aos nós cegos que deram e não tem nem idéia de como sair deles, e, devido à ignorância espiritual, nem têm vontade para tal fim. Vivem a inconsciência do Eu e sofrem pelo afastamento da Luz, mas sempre esperam que a solução venha de fora e as tire do inferno criado por elas mesmas.Têm uma dificuldade enorme em enxergar a vida como uma dádiva, pois a vêem como uma grande arena, cheia de monstros bizarros e indestrutíveis, loucos para devorá-los. Estão sempre acusando a Deus, aos outros, e também as circunstâncias de serem os criadores desses monstros sem saber que na verdade são os seus próprios genitores.

Estão sempre se lamuriando, dizendo que não agüentam mais tanta pressão, que fulano fez isso e cicrano fez aquilo, que são vítimas “pobrezinhas”, sem defesa e sem saída desta “desafortunada vida”. Outros ainda são completamente alienados e vivem inconscientemente sob o domínio da droga do consumismo se esquecendo da sua origem simples, mas DIVINA, e seguem entorpecidos como zumbis, cegos para a Luz. Esquecem que são portadores de bênçãos a serem vivificadas apenas através do compartilhar, que a felicidade advém somente do exercício do Amor e que para fazer isso não é necessário possuir bens materiais e nem posição social.

Tudo seria bem mais simples se essas pessoas se abrissem para a Abundância Divina e sentissem a Graça jorrando sobre as suas cabeças, concedendo a cada instante das suas existências oportunidades de crescimento. Creiam, somos todos abençoados filhos da LUZ! A VIDA EM SI É UMA GRANDE BENÇÃO! Nada pode ser mais reconfortante do que descobrir qual é o nosso dom e exercê-lo, oferecendo-o ao próximo; isso realiza a alma. Não é só a Natureza que é deslumbrante, mas o SER HUMANO também!

Acredite nada é mais gratificante do que o despertar para a LUZ, decifrar os nossos próprios mistérios e conscientizarmo-nos do nosso próprio Eu. Então, diante disso sorria e junto comigo dê graças a VIDA!

Namastê,



Márian



quinta-feira, 1 de maio de 2008



CULPAR, JULGAR, CONDENAR...


Mais uma vez nos deparamos com a notícia de um crime bárbaro cometido contra uma criança, símbolo da inocência e da esperança. Infelizmente crimes cometidos contra os pequenos acontecem todos os dias, mas não são divulgados com tanta amplitude pela mídia como esse que teve como vítima a menina Isabella. Percebemos aí um interesse maior da população em relação a pessoas com posses ou com formação acadêmica ou ainda por quem tem fama.

Pior ainda é essa urgência extrema para se encontrar um culpado, o que pode acarretar enganos e tropeços que podem vir a se tornarem manchas permanentes na honra e integridade dos envolvidos.

Observamos que a maioria das pessoas antes mesmo de conhecerem a verdade, afirmam ter absoluta certeza de quem são os culpados baseados apenas em impressões pessoais e informações nem sempre confiáveis divulgadas pela mídia. Elas perguntam como é possível que os pais, aqueles cujo dever devia ser o de proteger os filhos assumam o papel antagônico de seus algozes, mas não aguardam as respostas, apontando, dirigindo xingamentos, e se deixarem, até mesmo atacando fisicamente os suspeitos, cometendo a mesma violência que condenam.

Triste...

Estamos mesmo vivendo um momento crítico onde a violência não se limita mais às guerras, ela está ao nosso lado, bem próxima de nós. Os princípios humanos foram perdidos e o mundo se encontra à beira do caos, onde reina o egoísmo, o desrespeito e a falta de caridade. Parece que uma loucura generalizada tomou conta das pessoas e todos os parâmetros que definem certo ou errado foram totalmente distorcidos. Por exemplo, calúnia e difamação são outras formas de destruir alguém e hoje é comum vermos pessoas usando desses ardis, pisando umas nas outras apenas para conquistar o que desejam; uma luta inglória onde o resultado é uma contínua frustração.

No caso da menina Isabella, o que mais me deixa abismada é a raiva de algumas pessoas ao julgarem e condenarem os suspeitos antes mesmo de ser provada a sua culpa. Sinto que essas pessoas têm uma necessidade enorme de acusar alguém, não por justiça, mas por ter um ódio mascarado em relação ao mundo, à vida e aos outros que nem mesmo elas sabem. No caso de um linchamento, será que elas estão mesmo interessadas em fazer “justiça” ou elas estão apenas deixando vir à tona a raiva e o recalque, descarregando as suas mágoas em alguém emocionalmente desconhecido para elas. Isso mesmo, projetam todos os seus sentimentos de revolta criados pelos seus fracassos em pessoas desconhecidas.

Bem, meditando a respeito buscamos respostas para esses acontecimentos e a espiritualidade nos ensina que existem vários níveis de consciência onde muitas almas estão nos planos primários da linha evolutiva e ainda não têm a compreensão de que estão fazendo mal a si mesmas quando causam sofrimento ao outro. É preciso entender que existem leis universais cuidando para que a harmonia reine e que a lei do karma não falha. Adiante na linha do tempo as pessoas passarão por provas que lhes trarão a oportunidade de reconhecerem seus erros e se redimirem.

Precisamos observar sem julgar, esperando que a verdade venha à tona, desejando que as pessoas que cometeram o crime se arrependam e compreendam o sentido daquilo que fizeram.

Mesmo diante de tanta barbárie devemos nos manter serenos, sendo misericordiosos e compreensivos com os ignorantes ou como diria Chico Xavier, com os inexperientes, pois estes estão dando os primeiros passos e, portanto são passíveis de tropeços. Torçamos para que a Justiça dos homens seja realmente justa e que o verdadeiro culpado apareça, seja ele quem for, que assuma o seu erro e de alguma forma o sane.

Meditar sobre o que isso pode nos trazer como lição é sempre o mais importante.

No Amor e na Luz,
Márian

sábado, 26 de abril de 2008


RETORNANDO

Quase dois meses sem postar. Puxa Vida!
Estive com a mente ocupada em questões pessoais e contrariando tudo o que tenho aprendido, me deixei levar por sentimentos de decepção e tristeza que levaram embora toda a minha inspiração, não só para escrever como também para pintar.

Me esqueci que não devemos esperar comportamentos amorosos de quem ainda não compreende o que é o amor. Pequei em acreditar na boa vontade de pessoas ainda cegas para o BEM, e que ainda não alcançam que o mal que fazem ao outro estão fazendo a si mesmos.

Quando esperamos ver apenas o bem nas pessoas, às vezes somos pegas de surpresa ao nos depararmos com criaturas ainda primitivas que dominadas por sentimentos mesquinhos, estão adoecidas ou melhor dizendo emsombrecidas e atuam seguindo os seus instintos, ferindo sem pensar em consequencias. Torço para que um dia elas compreendam o que aconteceu e se libertem da sua ignorância.

Maktub... Todos caminhamos para a Luz, cada um no seu ritmo e no seu nível de entendimento. Oremos e torçamos para que essas pessoas tenham Paz e Luz no seu caminhar.

Bom, passou... Agora já restabelecida e disposta, voltei.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008



SINCERAS E AMOROSAS RELAÇÕES HUMANAS

Nós humanos somos seres sociais e sentimos uma enorme necessidade de ficarmos juntos, mas estamos sempre entrando em atrito com as idéias, costumes e crenças dos outros, não é mesmo? Na verdade, é através desta constante fricção que surgem as fagulhas que despertam a nossa consciência para o nosso verdadeiro Eu.

Vocês já perceberam quando alguém se inflama ao defender seu ponto de vista, mas está completamente fechado para o ponto de vista alheio? Parece até que vai explodir, não é mesmo? Com certeza esta pessoa ainda não tem consciência do seu verdadeiro papel como parte de um Todo e acredita apenas na sua própria verdade.

Essa forma de auto-afirmação é bastante corriqueira durante a adolescência, mas com o tempo isso deveria dar lugar a um sentimento mais maduro de confiança em si mesmo e no outro. Pelo contrário, temos visto pessoas sustentando verdades que elas mesmas criam, talvez para justificar seus próprios erros, não aceitando de jeito nenhum o que os outros têm a dizer, julgando-os como estando errados e se fechando para o entendimento, impossibilitando assim um bom relacionamento.

Realmente temos muitas dificuldades para enxergar os nossos defeitos e as nossas falhas de caráter, porém chegamos num nível de aprendizado onde é preciso lidar com esse tipo de decepção, aceitando o nosso ser e o do outro com as suas limitações, mas também com uma grande capacidade de transformação e renovação. Podemos perceber que os conflitos entre as pessoas são o resultado de mentes egoístas, dualistas, que exaltam apenas as personalidades, (que são normalmente diferentes, pois foram naturalmente influenciadas pelo meio ambiente, pela genética, por condições kármicas, etc.) sem se aprofundarem na sua essência, que de fato é a mesma.

Precisamos aprender a ver o outro como um professor. A convivência é uma das provas espirituais mais difíceis e só pode ser vencida através de humildade, paciência, da compreensão dos nossos limites e os dos outros também. Precisamos aprender com o reflexo do outro, vendo-o como uma metáfora de nós mesmos, entendendo que não sabemos tudo enquanto personalidades, pois somente o Eu superior é sábio e ele só pode ser acessado através da observação profunda e constante. Um bom exercício é espantar o orgulho e questionar sempre quais são os sentimentos que as pessoas despertam em nós e o que isso significa para o nosso crescimento, ou seja, quais são as suas características que nos incomodam, fazendo uma auto-análise e considerando a possibilidade de as termos também de uma forma sutil.

É mais fácil aceitar os nossos erros e os dos outros quando compreendemos que durante a nossa caminhada espiritual passamos por vários níveis de entendimento e que cada um de nós tem um ritmo próprio. Somos humanos em evolução e só podemos compreender certos princípios espirituais na medida em que vamos tomando Consciência. É perfeitamente normal errarmos durante esse processo e o discernimento entre bem e mal*, certo ou errado, só vem com o amadurecimento espiritual.

Também é importante saber como os outros se sentem em relação a nós, acatando com humildade as suas observações e críticas, meditando sobre as suas considerações e sempre tendo como meta melhorar sempre. Sabemos que não podemos impor uma transformação ao outro, podemos sim, nos transformarmos positivamente ativando assim uma bela transformação em cadeia. Podemos exteriorizar a nossa Luz interior sendo pacíficos, compreensivos e altruístas, nos doando amorosamente sem nenhuma expectativa.

Amar é um verdadeiro exercício de abnegação do ego e quando entendemos isso de forma complexa, fica bem mais fácil compreender o outro e aceitá-lo. Enquanto estivermos prisioneiros das nossas próprias crenças e idéias não temos condição de dar espaço para perceber o quanto o outro pode ser a solução para as nossas dúvidas em relação a nós mesmos. O medo de nos perdermos e deixarmos de ser o que pensamos ser, nos fecha e nos cega como uma forma ilusória de proteção. É comum nos afastarmos justamente daqueles que são potencialmente chaves para a nossa libertação, culpando-os da sensação de mal estar que nos causam; sendo que isso de nada adianta, pois estaremos sempre sendo colocados diante de pessoas com essas mesmas características atraídas pelo nosso karma.

Só quando compreendemos o que a convivência com alguém nos ensina, podemos nos afastar se assim o desejarmos, aceitando-o, perdoando-o e seguindo adiante, conscientes e prontos para encararmos novas provas.

A aceitação consciente de que o outro é Luz, faz com que automaticamente ao irradiarmos Luz para ele, através de ressonância ele irradie Luz para nós também. Precisamos compreender que o Amor que nos comanda, mesmo que sejamos inconscientes disso ainda, atua sempre de forma evolutiva, e que todas as relações humanas têm um propósito: a consolidação do Amor em todos os níveis. Sinceras e Amorosas Relações.

* Tenho ouvido falar que o bem e o mal não existem, que são apenas conceitos criados por religiões ou sistemas de governo ou ainda que são apenas criações mentais. Bem, existem leis que sustentam o universo, que ao contrário do que a maioria pensa, não é caótico, tem causa e propósito e que as ações que afetam a sua harmonia são consideradas negativas. Explicando: o resultado de uma ação ou pensamento que leva à involução, ou melhor, à desarmonia, é considerado "mal" e tudo o que leva à evolução e à Harmonia, consequentemente, é "bem".

No Amor e na Luz,
Márian

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008


SILÊNCIO

Exercitar o Silêncio é deveras bem difícil, não é mesmo?


Muitos de nós falamos às vezes de forma descontrolada e impensada, deixando que os nossos sentimentos que nem sempre são positivos se materializem. Quando fazemos isso, sem querer estamos dando força a eles, tornando-os mais intensos e difíceis de serem resolvidos.


A maioria das pessoas fala sem nenhuma consciência, não tem paciência para ouvir o que os outros têm a dizer, aliás, não sabe escutar nem o próprio coração, pois como o Eu Superior não passa a mão na cabeça, geralmente as suas respostas são difíceis de aceitar. Gostam de ouvir apenas que estão sempre com a razão, que são perfeitos, que são vítimas, etc. e tal. A verdade é que enquanto não mergulharmos no silêncio estaremos sempre alimentando a nossa mente egóica e imatura que teima em se impor não apenas a nós mesmos, mas aos outros como uma forma de se afirmar, misturando verdades e mentiras e tornando a fala apenas um espelho da personalidade e não a sabedoria interior que sempre partilha o conhecimento eterno.

Precisamos entender que somos silêncio consciente em nossa mônada, espelho do Todo sapiente; somos o Silêncio Cósmico, eloqüência do Sagrado. O contato com este silêncio abre o nosso coração e nos dá a constatação de que nada pode ser acrescentado, que no nosso âmago estão todas as respostas que precisamos para seguir em frente e sermos banhados pela graça. Este é o despertar cósmico e cura para todo o sofrimento.
O trabalho da meditação Soluz foca sempre a necessidade de estarmos em contato profundo com o nosso Eu através da meditação, do Silêncio. A meditação no silêncio nos torna mais atentos e treinados para que quando o nosso ego tentar nos afastar do nosso centro pacífico, ele seja imediatamente identificado e pesquisado com profundidade e seriedade antes de se exprimir na fala. Não podemos ser dependentes da experiência interna do outro, precisamos fazer as nossas próprias descobertas, pois enquanto formos escravos da nossa mente agitada não seremos donos do nosso próprio nariz, seremos sempre subordinados as influências externas.

A troca de informações teóricas é importante apenas para confirmar o que o nosso Eu nos diz, pois a verdadeira sabedoria está no Silêncio, na União com o Todo.
Aprendamos então a silenciar a mente e a ouvir o nosso SAGRADO EU.

Namastê,

Márian

terça-feira, 29 de janeiro de 2008



MEDITAÇÃO

"Meditar é interromper por completo o modo como normalmente operamos, em benefício de um estado isento de cuidados e tensões em que inexiste competição, desejo de posse ou apego a qualquer coisa, sem a luta intensa, sem fome de adquirir. Um estado desprovido de ambição onde não cabe nem o aceitar, nem o rejeitar, nem a esperança, nem o medo, um estado que lentamente começamos a libertar-nos das emoções e dos conceitos que nos aprisionaram, até chegarmos a um espaço de simplicidade natural".(Rimpoche - O Livro Tibetano do Viver e do Morrer)

Meditar é religar-se ao estado natural de ser. Meditando, podemos alcançar um nível superior de entendimento, onde as questões físicas, emocionais e espirituais são observadas sob um novo ângulo. Durante a prática, alcançamos uma visão ampla da realidade cotidiana, não nos deixando envolver por sensações que podem nos afastar do nosso centro, desequilibrando-nos e trazendo transtornos em vários aspectos da existência.

A prática da Meditação nos leva à compreensão do verdadeiro sentido do existir, resgatando os reais valores da vida, nos dando uma compreensão do nosso próprio ser e do universo. Ao conectarmos com a nossa luz interior, nos conscientizamos do poder divino da autocura e somos internamente ativados a acelerar os nossos passos em direção a Luz. Com isso, temos a possibilidade de nos transformarmos internamente, compreendendo o nosso processo, curando as nossas feridas emocionais, equilibrando a mente e o corpo. Podemos assim, erradicar as causas dos sofrimentos profundamente enraizados no subconsciente.

Nós seres humanos, estamos sujeitos a interferência energética do meio ambiente (lugares e circunstâncias), de outras pessoas (sentimentos e emoções), às mudanças climáticas, astrológicas, etc. Sabemos que somos suscetíveis a tudo que nos envolve, até mesmo ao que vemos, ouvimos ou comemos. Somos antenas ligadas através dos nossos sentidos físicos ao mundo exterior. Bem, se não tivermos consciência dessa ligação, isso só irá nos distrair da nossa verdadeira busca que deve ser feita através da interiorização. Para compreendermos este processo, precisamos nos conscientizar dessas sensações, utilizando-as como instrumentos de aprendizado, sem nos apegarmos a elas achando que a satisfação que nos trazem é o único objetivo da existência. Não podemos confundir essas sensações às vezes prazerosas que objetivam a nossa sobrevivência no mundo físico com o objetivo supremo da alma.

Para reconquistarmos o equilíbrio, precisamos estar centrados e nos tornarmos receptivos ao nosso eu mais profundo, aquele que reside no silêncio, e a meditação é o caminho mais ancestral que conhecemos para isso. A prática da meditação ajuda a resgatar a nossa identidade e a mantermos a serenidade necessária para lidarmos com as provas diárias.
Ao meditarmos entramos em contato com a verdade eterna, com a pureza e com o Amor. Isso nos fortalece, livrando o nosso ser da negatividade e nos impulsionando para níveis mais elevados de consciência.


O estado meditativo é alcançado através de técnicas de respiração (controle da energia vital ou prana) e concentração. Qualquer pessoa é capaz de meditar, é preciso apenas disciplina e determinação para que os resultados sejam alcançados. Como tudo na vida, isso depende apenas de boa vontade e paciência, fatores que devem ser sempre exercidos por nós.

Márian

sábado, 5 de janeiro de 2008




LUZ E SOMBRA
Precisamos entender que uma delas só pode ser reconhecida através da existência da outra. A sombra existe para que possamos ver a Luz. A experiência na matéria nos traz a grandiosa oportunidade de vivenciarmos a complexidade da existência, da vida! Vida e morte são apenas aspectos dessa grande experiência, não são apenas princípio e fim de algo, mas movimento contínuo; passagens para planos diferentes e necessários.


A Luz é realidade, a sombra é dúvida e também faz parte do nosso processo de compreensão da vida.

Até que tudo se esclareça na nossa mente, a sombra estará tampando os nossos olhos. É preciso liberar a mente e deixar que os velhos conceitos sejam dissolvidos, é necessário tirar as máscaras que ocultam a nossa verdadeira face para que possamos nos encarar de frente e assumirmos as nossas sombras, o chamado "lado escuro da força". Se não assumirmos as nossas sombras, não conseguiremos resgatar a nossa própria Luz. É preciso lutar contra o dragão interno. É preciso aceitar as nossas imperfeições para que possamos transmutá-las.

Percebemos nas pessoas muitas dúvidas sobre bem e mal. Existem definições para bem e mal, e podemos meditar sobre isso.

O bem é a harmonia que visa sempre o bem comum, é a compreensão da Unidade; já o mal é a conseqüência da ignorância e do medo causado pelo afastamento da Unidade, é o desequilíbrio. Tudo o que leva a um transtorno físico ou espiritual é considerado mal. Tudo o que nos tira do nosso centro é mal. Tudo o que vai contra a natureza divina do ser humano é mal. Tudo o que nos leva ao centro, à Unidade é bem. Tudo o que une, esclarece, fortalece, ampara, compreende e compadece é bem. Essas definições podem ser enriquecidas ao compreendermos que o mal como fruto da ignorância faz parte do processo evolutivo humano e naturalmente à medida em que se esclarece o propósito divino e a união cósmica se dá, ele automaticamente desaparece.

É preciso entender que Deus e nós somos Um, inexoravelmente UM e para se enxergar isso, é preciso desprendimento, é preciso se entregar a essa força e deixar ir o velho eu, realizando os objetivos reais de um ser humano completo, vivendo integralmente, servindo sem expectativas, deixando-se fluir com a vida. Sendo o Amor sem barreiras, sem julgamentos, enxergando que tudo faz parte, que tudo é como deve ser.

Gerar ansiedade pela expectativa de uma realização de um desejo egóico nos afasta da realidade descortinando um véu de nuvens sobre os nossos olhos etéreos. A causa mais freqüente de stress causado pela decepção com uma derrota é a expectativa de ganhar sempre, de ser melhor do que os outros, de não aceitar as próprias limitações, etc.

O ser humano atual vive em busca de algo que nem mesmo ele sabe definir, pois está tão afastado da realidade que tem dificuldades para enxergar um palmo a frente do seu próprio nariz. É bombardeado todos os dias pela mídia com apelos que refletem a sua insatisfação, fazendo-o crer que bens materiais, a conquista do sexo oposto ou a realização profissional, trarão a tão almejada felicidade. Também é comum maquiar sentimentos egoístas com justificativas como: eu faço isso porque quero agradar o meu cliente, na verdade você está esperando apenas elogios, aprovação ou remuneração material.

De acordo com a Harmonia Universal devemos dar o melhor de nós, por amor, sem esperar nada em troca. Devemos apenas Ser, fluindo com a energia cósmica, com o Plano Divino. Expectativas só geram ansiedade, apreensão, medo, dúvida. A doação sem esperar nada em troca só gera a ampliação do Amor, da Verdade, da Luz.

"Vamos deixar que a brisa nos leve, como uma folha levada pelo vento, em qualquer direção, para qualquer lugar, e assim que a Vontade Divina quiser, vamos cair ao solo e servir de adubo para alguma semente que nos espera.
Assim seremos felizes por servir, não mentalizaremos nada.
Seremos.
Amaremos o Cosmos e seremos unos com Ele.
Vibraremos na mesma intensidade, o amor que permeia tudo e a todos.
Voltaremos a ser aquilo que sempre fomos.
"Luz"!
Estaremos conscientes da Totalidade.
Viveremos a Totalidade.
Seremos!"

Namastê,

Márian




UNIDADE E DUALIDADE

A Unidade é o Todo Abrangente, Infinito e Eterno e manifesta-se no plano físico em tudo o que existe, refletindo a sua luz imanente, materializando o Amor sob diversas formas .

É importante entender que a Unidade ao se manifestar na matéria, não aprisiona a sua criação, mas deixa-a livre para escolher as oportunidades que lhe trarão o entendimento necessário para a sua evolução. A dualidade surge como conseqüência da imaturidade dos que ainda não alcançaram a compreensão da Totalidade. Esses acreditam na separatividade entre Deus e o indivíduo em um processo natural aparentemente de involução, mas que os levará através de provas a compreensão de si mesmos e do todo, resultando assim em evolução.

É necessário compreender que nada acontece por acaso, tudo tem o tempo certo de maturação e a realidade é bem mais ampla do que os olhos físicos podem captar. A ilusão da separatividade só termina quando sentimos Deus como uma força nata em nós com o poder de realização infinita.

A dualidade está na mente daqueles que ainda não reconhecem Deus dentro de si, que ainda vivem na superficialidade, se deixando iludir por desejos de posse e poder causados pela cegueira espiritual. A dualidade é uma miragem causada pelo calor dos desejos pessoais e separatistas. Os que vivem a Unidade não vêem só a si mesmos quando precisam fazer escolhas, mas sim a humanidade universal.

Aqueles que se encontram na senda do Amor incondicional devem compreender que algumas pessoas ainda não conseguem enxergar o propósito divino, mas nem por isso deixam de estar caminhando em seu próprio ritmo. Temos o dever de abrir os olhos daqueles que amamos, mas sem impor as nossas idéias, vibrando para que um dia eles enxerguem a Verdade. Precisamos ser pacientes e desapegados, deixando a vida fluir e ensinar a todos nós as lições que precisamos.

Há algum tempo, uma visão nos foi dada pelos nossos instrutores: Uma pia cheia de água tinha a sua tampa do ralo retirada deixando escoar o seu conteúdo em uma espiral contínua até se esgotar. Aparentemente todas as moléculas de água escoaram pelo ralo, mas ao observar as bordas da pia, vimos que algumas gotas continuavam a escorrer no seu ritmo próprio, até que somente algumas gotículas permaneceram paradas até secarem e evaporarem, se transformando e caindo em forma de chuva, seguindo a sua meta, mas de forma diferente.

Mensagem da visão: Somos como as moléculas de água, seguimos todos para a mesma direção. Embora pareça que alguns estão se perdendo pelo caminho, eles continuam em seu próprio ritmo. Até mesmo aqueles que parecem parar, têm a oportunidade de retornar sob novas formas para continuar a aprender.

Somos partes de uma grande consciência e caminhamos para a mesma direção, cada um em seu próprio ritmo, vivenciando luz e sombras até que só reste LUZ.

Márian