terça-feira, 29 de janeiro de 2008



MEDITAÇÃO

"Meditar é interromper por completo o modo como normalmente operamos, em benefício de um estado isento de cuidados e tensões em que inexiste competição, desejo de posse ou apego a qualquer coisa, sem a luta intensa, sem fome de adquirir. Um estado desprovido de ambição onde não cabe nem o aceitar, nem o rejeitar, nem a esperança, nem o medo, um estado que lentamente começamos a libertar-nos das emoções e dos conceitos que nos aprisionaram, até chegarmos a um espaço de simplicidade natural".(Rimpoche - O Livro Tibetano do Viver e do Morrer)

Meditar é religar-se ao estado natural de ser. Meditando, podemos alcançar um nível superior de entendimento, onde as questões físicas, emocionais e espirituais são observadas sob um novo ângulo. Durante a prática, alcançamos uma visão ampla da realidade cotidiana, não nos deixando envolver por sensações que podem nos afastar do nosso centro, desequilibrando-nos e trazendo transtornos em vários aspectos da existência.

A prática da Meditação nos leva à compreensão do verdadeiro sentido do existir, resgatando os reais valores da vida, nos dando uma compreensão do nosso próprio ser e do universo. Ao conectarmos com a nossa luz interior, nos conscientizamos do poder divino da autocura e somos internamente ativados a acelerar os nossos passos em direção a Luz. Com isso, temos a possibilidade de nos transformarmos internamente, compreendendo o nosso processo, curando as nossas feridas emocionais, equilibrando a mente e o corpo. Podemos assim, erradicar as causas dos sofrimentos profundamente enraizados no subconsciente.

Nós seres humanos, estamos sujeitos a interferência energética do meio ambiente (lugares e circunstâncias), de outras pessoas (sentimentos e emoções), às mudanças climáticas, astrológicas, etc. Sabemos que somos suscetíveis a tudo que nos envolve, até mesmo ao que vemos, ouvimos ou comemos. Somos antenas ligadas através dos nossos sentidos físicos ao mundo exterior. Bem, se não tivermos consciência dessa ligação, isso só irá nos distrair da nossa verdadeira busca que deve ser feita através da interiorização. Para compreendermos este processo, precisamos nos conscientizar dessas sensações, utilizando-as como instrumentos de aprendizado, sem nos apegarmos a elas achando que a satisfação que nos trazem é o único objetivo da existência. Não podemos confundir essas sensações às vezes prazerosas que objetivam a nossa sobrevivência no mundo físico com o objetivo supremo da alma.

Para reconquistarmos o equilíbrio, precisamos estar centrados e nos tornarmos receptivos ao nosso eu mais profundo, aquele que reside no silêncio, e a meditação é o caminho mais ancestral que conhecemos para isso. A prática da meditação ajuda a resgatar a nossa identidade e a mantermos a serenidade necessária para lidarmos com as provas diárias.
Ao meditarmos entramos em contato com a verdade eterna, com a pureza e com o Amor. Isso nos fortalece, livrando o nosso ser da negatividade e nos impulsionando para níveis mais elevados de consciência.


O estado meditativo é alcançado através de técnicas de respiração (controle da energia vital ou prana) e concentração. Qualquer pessoa é capaz de meditar, é preciso apenas disciplina e determinação para que os resultados sejam alcançados. Como tudo na vida, isso depende apenas de boa vontade e paciência, fatores que devem ser sempre exercidos por nós.

Márian