sábado, 5 de janeiro de 2008




UNIDADE E DUALIDADE

A Unidade é o Todo Abrangente, Infinito e Eterno e manifesta-se no plano físico em tudo o que existe, refletindo a sua luz imanente, materializando o Amor sob diversas formas .

É importante entender que a Unidade ao se manifestar na matéria, não aprisiona a sua criação, mas deixa-a livre para escolher as oportunidades que lhe trarão o entendimento necessário para a sua evolução. A dualidade surge como conseqüência da imaturidade dos que ainda não alcançaram a compreensão da Totalidade. Esses acreditam na separatividade entre Deus e o indivíduo em um processo natural aparentemente de involução, mas que os levará através de provas a compreensão de si mesmos e do todo, resultando assim em evolução.

É necessário compreender que nada acontece por acaso, tudo tem o tempo certo de maturação e a realidade é bem mais ampla do que os olhos físicos podem captar. A ilusão da separatividade só termina quando sentimos Deus como uma força nata em nós com o poder de realização infinita.

A dualidade está na mente daqueles que ainda não reconhecem Deus dentro de si, que ainda vivem na superficialidade, se deixando iludir por desejos de posse e poder causados pela cegueira espiritual. A dualidade é uma miragem causada pelo calor dos desejos pessoais e separatistas. Os que vivem a Unidade não vêem só a si mesmos quando precisam fazer escolhas, mas sim a humanidade universal.

Aqueles que se encontram na senda do Amor incondicional devem compreender que algumas pessoas ainda não conseguem enxergar o propósito divino, mas nem por isso deixam de estar caminhando em seu próprio ritmo. Temos o dever de abrir os olhos daqueles que amamos, mas sem impor as nossas idéias, vibrando para que um dia eles enxerguem a Verdade. Precisamos ser pacientes e desapegados, deixando a vida fluir e ensinar a todos nós as lições que precisamos.

Há algum tempo, uma visão nos foi dada pelos nossos instrutores: Uma pia cheia de água tinha a sua tampa do ralo retirada deixando escoar o seu conteúdo em uma espiral contínua até se esgotar. Aparentemente todas as moléculas de água escoaram pelo ralo, mas ao observar as bordas da pia, vimos que algumas gotas continuavam a escorrer no seu ritmo próprio, até que somente algumas gotículas permaneceram paradas até secarem e evaporarem, se transformando e caindo em forma de chuva, seguindo a sua meta, mas de forma diferente.

Mensagem da visão: Somos como as moléculas de água, seguimos todos para a mesma direção. Embora pareça que alguns estão se perdendo pelo caminho, eles continuam em seu próprio ritmo. Até mesmo aqueles que parecem parar, têm a oportunidade de retornar sob novas formas para continuar a aprender.

Somos partes de uma grande consciência e caminhamos para a mesma direção, cada um em seu próprio ritmo, vivenciando luz e sombras até que só reste LUZ.

Márian