quarta-feira, 29 de julho de 2009


BENEFÍCIOS DA MEDITAÇÃO EM GRUPO

A meditação é o resultado inevitável do processo de evolução, do impulso para a perfeição. Um ser humano não pode viver e crescer sem respirar. A respiração é vida para o corpo. A meditação é um gênero de respiração, e é impossível viver o Caminho do Crescimento Interior sem meditação. Os aspirantes degeneram e morrem espiritualmente sem meditação apropriada, mas florescem e irradiam mais vida quando meditam.

A meditação é a resposta a um chamado interior, ao chamado do futuro. Algum grande íman libera e evoca em ti a luz oculta e te convoca, uma etapa depois da outra, até que encontre dentro de ti o primeiro grande íman, tua Alma.

Nos é dito que o Anjo Solar ou Alma dentro de nós está em meditação contínua e que sua meditação se dirige dentro de ambos os mundos: o mundo objetivo e o mundo subjetivo, ou o
mundo da personalidade e o mundo do espírito. Quando se responde ao chamado da Alma, do Futuro, o ser humano em evolução começa a ponderar, a refletir, a aspirar e a meditar.

Primeiro, sua meditação é muito curta, mas gradualmente torna-se mais contínua, até que toda a vida se converte em um modo de meditação.

MEDITAÇÃO GRUPAL


A meditação individual deve conduzir, a seu tempo, até a meditação em grupo. O grupo deve estar composto pelos que tentaram arduamente efetuar a meditação individual e a alcançaram realmente. A meditação grupal é um processo formativo de um canal unido para receber luz, amor e poder, e irradiá-lo para todos os níveis em que se encontram os membros
do grupo.

Os grupos se formam de três modos:


a) os membros se encontram no plano físico para o mesmo trabalho,

b) os membros estão dispersos em vários lugares mas efetuam meditação e serviço simultâneos e unânimes e

c) os grupos subjetivos se encontram ocasionalmente nos planos superior e intuitivo, consciente ou inconscientemente.

BENEFÍCIOS DA MEDITAÇÃO GRUPAL

Todo membro pode pertencer simultaneamente a todos estes grupos, ou a um ou a dois deles. Os parágrafos seguintes são para o primeiro tipo de grupo. Entende-se que as energias unidas de muitos discípulos podem produzir resultados de iluminação e serviço maiores que a energia de um só. A meditação em grupo e o serviço em grupo se assemelham a uma sinfonia; são o resultado mais afinado de muitos instrumentos, postos em tom e harmonizados entre si na consciência grupal.

Na meditação grupal, o fogo de nosso coração late, irradia e abraça os corações dos membros do grupo, e cria um centro subjetivo do coração que é um centro de amor verdadeiro. Um amor que se derrama desde o centro do coração do grupo se experimenta somente na meditação e serviço grupais.

A meditação em grupo acrescenta tremendamente nossa luz individual e nosso poder de vontade. Podemos alcançar algum grau de iluminação através da meditação individual, mas é impossível invocar o verdadeiro amor e a energia da vontade sem a meditação e o serviço em grupo. É possível tomar contato com as energias superiores, liberá-las e compartilhá-las com segurança e usá-las construtivamente somente na meditação grupal.

A meditação grupal cria um centro magnético donde quer que se efetue, porque cria um foco de energias superiores ao redor do grupo que medita; este foco de energias se ancora no local em que se efetua a meditação. Quando a meditação é substituída por atividades sociais, o grupo ou o centro perde o magnetismo, seu atrativo subjetivo.

A meditação grupal nos ajuda também a controlar e corrigir nossos motivos de meditação. Nós, na maioria, fazemos meditação para nosso progresso, nossa liberação, para o acréscimo de nossa luz, de nosso amor e poder.

A meditação grupal corrige esta atitude egoísta de nossas mentes e vemos lentamente que só há uma meta para a meditação: servir a humanidade à luz da hierarquia e a carregarmos com a energia da Vontade Divina.

Quando os grupos hierárquicos meditam, formam nuvens de luz, conhecimento, amor, sabedoria, energia e gratidão, e estas nuvens de energia, ou o campo energético de substância mental eletrificada, serve de estação transmissora no espaço. Os que têm bastante preparação e o mecanismo harmonizado nesta estação ou esta poderosa forma de pensamento, recebem as ondas desta forma de pensamento e se carregam com amor, sabedoria, valentia, conhecimento, gratidão, etc.*

por Torkom Saraydarian, extraído do texto: Meditación grupal y las principales lunas llenas 2007.

terça-feira, 2 de junho de 2009


KARMA FAMILIAR – UMA PROVA DE AMOR

Acho que a maioria de nós algum dia já se viu no meio de uma reunião familiar e se sentiu como um “estranho no ninho” não é mesmo? Ao olhar ao redor nos perguntamos por que nascemos em uma família tão estranha, que não tem nada a ver conosco, onde as pessoas têm idéias e comportamentos muito diferentes dos nossos causando um tremendo desconforto social?

Todos nós temos na família relacionamentos amorosos e outros extremamente conflituosos, competitivos, desgastantes e frustrantes. É realmente difícil compreender como pessoas que têm a mesma criação ou que têm laços de sangue possam ser tão diferentes.
Bem, a resposta por mais inacreditável que seja é que estamos exatamente no lugar certo e com as pessoas certas para vivenciarmos a nossa experiência evolutiva aqui neste plano.

Todos os nossos relacionamentos, principalmente os familiares são atraídos por nós para que possamos resgatar o nosso Karma através da compreensão do que é o Amor em toda a sua complexidade. Na verdade a lei da ação e reação, o Karma, é infalível e o universo está sempre nos dando oportunidades para resgatarmos as nossas pendências espirituais. Atos do passado e de outras vidas emergem para que sejam compreendidos em profundidade e então possamos prosseguir para níveis mais elevados de aprendizado. É justamente na família, nos entes mais próximos é que estão concentrados estes eventos.

É importante entender que é sempre a lei do Amor que materializa o encontro entre as pessoas com relacionamentos difíceis, fazendo com que inimigos espirituais encarnem como parentes próximos para que possam se libertar de sentimentos baixos como o ódio, o ciúme, a inveja, entre outros. A idéia é que os laços fraternos ajudem a superar as diferenças entre essas pessoas, lembrando a elas que precisam se amar em vez de se odiar. Geralmente o relacionamento entre pais e filhos, irmãos e irmãs, são os maiores desafios.

O mais importante não é saber se o motivo da rivalidade foi um crime em uma vida passada, mas qual a lição a ser aprendida no presente, pois tudo o que fizemos está refletido no aqui - agora. É preciso meditar, aprofundar com coragem nas questões, sem medo de enxergar as próprias limitações e imperfeições, e fazer uma avaliação impessoal para se encontrar a verdade.

Normalmente a dificuldade maior em assimilar este aprendizado está na falta de humildade em ouvir o outro, em aceitar as suas idéias e desejos, fazendo com que a convivencia entre as pessoas se torne um verdadeiro martírio.

Um primeiro pensamento que ajuda a mudar essa história é entender que cada pessoa tem características próprias adquiridas durante as suas várias experiências terrestres e, portanto não é igual a mais ninguém. Precisamos entender que cada um tem um ritmo próprio, um caminho pessoal e uma hora certa para despertar para a sua luz interior. Portanto, é preciso muita paciência e principalmente “aceitação” do outro como um verdadeiro irmão em espírito. As pessoas estão em níveis e graus diferentes de evolução e, portanto nem todos ainda têm a capacidade de reconhecer os próprios erros e força de vontade para realizar a mudança.

Se a causa e o aprendizado de cada relacionamento não forem descobertos, vamos ficar atrelados aos nossos desafetos, nos desgastando com o sofrimento, estancados no mesmo lugar, repetindo os mesmos erros do passado. A libertação só virá quando aprendermos a lição, reconhecermos que talvez as falhas sejam nossas, modificarmos o nosso comportamento, sanarmos as nossas dívidas, perdoarmos de forma efetiva os nossos próprios erros e os dos outros também.

E atenção, é preciso fazer um esforço para que tudo seja esclarecido e que todas as partes tenham uma compreensão do aprendizado. Os que conseguirem compreender devem tentar abrir os olhos daqueles que tem dificuldades para enxergar, entretanto, não podem exigir que compreendam, pois como foi dito antes, cada um tem o seu momento de despertar.

No final, mesmo que a outra parte não assimile o aprendizado, aquele que conseguir resgatar o seu karma, compreendendo-o com humildade e aceitação estará livre para deixar a convivência difícil e se encaminhar para novas experiências menos densas. Atentem que, se nos afastarmos antes de compreendermos e resolvermos a situação volta e meia estaremos sendo colocados frente a frente às mesmas situações e pessoas.

No Amor e na Luz,

Namastê,

Márian

segunda-feira, 2 de março de 2009



OS SETE PASSOS PARA A SUPERAÇÃO DO CONTROLE DO EGO

Aqui estão sete sugestões para ajudá-lo a transcender os conceitos enraizados do orgulho. Foi escrito com o intuito de preveni-lo contra a falsa identificação com o ego orgulhoso.

1. Pare de se sentir ofendido.

O comportamento de outras pessoas não é motivo para se sentir imobilizado. Existe a ofensa apenas quando você se enfraquece. Se procurar por situações que o aborreça, as encontrará em cada esquina. É o ego no controle convencendo você que o mundo não deveria ser do jeito que é. Mas é possível tornar-se um observador da vida e alinhar-se com o Espírito da Criação universal. Não se alcança o poder da intenção sentindo-se ofendido. Procure erradicar, de todas as formas possíveis, os horrores do mundo que emanam da identificação maciça do ego, e esteja em paz. Assim como nos lembra o Curso em Milagres: a paz está em Deus e você que é parte Dele só retorna ao lar em Sua paz. O Ser está em Deus e você que é parte Dele só retorna ao lar em Sua paz. Ficar ofendido cria o mesmo tipo de energia destrutiva que a princípio o feriu, e leva a agressão, ao contra-ataque e a guerra.

2. Abandone o querer vencer.

O ego adora nos dividir entre ganhadores e perdedores. A busca pela vitória é a forma infalível de evitar o contato consciente com a intenção. Por quê? Porque basicamente é impossível vencer sempre. Algumas pessoas serão mais rápidas, mais sortudas, mais jovens, mais fortes e mais espertas que você e acabará se sentindo insignificante e sem valor diante delas.Você não se resume as suas conquistas e vitórias. Uma coisa é gostar de competir e se divertir num mundo onde vencer é tudo, mas não precisa ser assim em seus pensamentos. Não há perdedores num mundo onde todos compartilham da mesma fonte de energia. Só se pode afirmar que, em determinado dia, sua atuação esteve num certo nível comparada a outras. Mas cada dia é diferente, com outros competidores e novas situações a serem consideradas. Você continua sendo a infinita presença num corpo que está a cada dia ou a cada década, mais velho. Pare com essa necessidade de vencer, não aceite o conceito de que o contrário de vencer é perder. Esse é o medo do ego. Se seu corpo não está respondendo de forma vencedora, não importa, significa que você não está se identificando unicamente com seu ego. Seja um observador, perceba e aprecie tudo sem a necessidade de ganhar um troféu. Esteja em paz e alinhe-se com a energia da intenção. De forma inusitada, as vitórias aparecerão mais em seu caminho quanto menos as desejá-las.

3. Abandone o querer estar certo.

O ego é a raiz de muitos conflitos e desavenças porque o impulsiona julgar as pessoas como erradas. Quando a pessoa é hostil, houve uma desconexão com o poder da intenção. O Espírito de Criação é generoso, amoroso e receptivo; e livre de raiva, ressentimento ou amargura. Cessar a necessidade de ter razão nas discussões e nos relacionamentos é como dizer ao ego; “Não sou seu escravo. Quero me tornar generoso. Quero rejeitar a necessidade de ter razão”. Dê a oportunidade de se sentir bem dizendo a outra pessoa que ela está certa, e agradeça-a por lhe direcionar ao caminho da verdade”.Ao deixar de querer ter razão, você fortalece a conexão com o poder da intenção. Mas fique atento, pois o ego é um combatente determinado. Tenho visto pessoas terminarem lindos relacionamentos por apego a necessidade de estarem certas. Preste atenção à vontade controlada pelo ego. Quando estiver no meio de uma discussão, pergunte a si mesmo; “Quero estar certo ou ser feliz?” Ao optar por ser feliz, amoroso e predisposto espiritualmente, a conexão com a intenção se fortalecerá. Esses momentos expandem novas conexões com o poder da intenção. A Fonte universal começará a colaborar com você para uma vida criativa ao qual foi predestinado a viver.

4. Abandone o querer ser superior.

A verdadeira nobreza não é uma questão de ser melhor que os outros. É uma questão de ser melhor ao que você era. Concentre-se em seu crescimento, consciente de que ninguém neste planeta é melhor que ninguém. Todos nós emanamos da mesma força de vida criadora. Todos temos a missão de realizar nossa pretendida essência, tudo que precisamos para cumprir nosso destino está ao nosso alcance. Mas nada é possível quando nos sentimos superiores aos outros. É um velho ditado e, todavia, verdadeiro: somos todos iguais aos olhos de Deus. Abandone a necessidade de sentir-se superior, perceba a expansão de Deus em cada um. Não julgue as pessoas pelas aparências, conquistas, posses e outros índices do ego. Ao projetar sentimentos de superioridade retorna a você sentimentos de ressentimentos e até hostilidade. Esses sentimentos são veículos que os levam para longe da intenção. O Curso em Milagres aborda essa necessidade de se sentir especial e superior. A distinção sempre leva a comparações. Baseia-se na falta vista no outro, e se mantém pela procura e ostentação das falhas percebidas.

5. Deixe de querer ter mais.

O mantra do ego é “mais”. Ele nunca está satisfeito. Não importa o quanto conquistou ou conseguiu, o ego insiste que ainda não é o suficiente. Ele põe você num estado perpétuo de busca e elimina a possibilidade de chegada. Na realidade, você já está lá e a forma que opta para usar esse momento presente da vida é uma escolha. Ao cessar essa necessidade por mais, as coisas que mais deseja começam a chegar até você. Sem o apego da posse, fica mais fácil compartilhar com os outros. Você percebe o pouco que precisa para estar satisfeito e em paz.A Fonte universal é feliz nela mesma, expande-se e cria vida nova constantemente. Nunca obstrui suas criações por razões egoístas. Cria e deixa ir. Ao cessar a necessidade do ego de ter mais, você se unifica com a Fonte. Como um apreciador de tudo que aparece, aprende a lição poderosa de São Francisco de Assis: “É dando que se recebe”. Ao permitir que a abundância lhe banhe, você se alinha com a Fonte e deixa essa energia fluir.

6. Abandone a idéia de você baseado em seus feitos.

É um conceito difícil quando se acredita que a pessoa é o que ela realiza. Deus compõe todas as músicas. Deus constrói todos os prédios. Deus é a fonte de todas as realizações. Posso ouvir os egos protestando em alto e bom som. Mas, vá se afinizando com essa idéia. Tudo emana da Fonte! Você e a Fonte são um só! Você não é esse corpo ou os seus feitos. Você é um observador. Veja tudo ao seu redor e seja grato pelas habilidades acumuladas. Todo crédito pertence ao poder da intenção, o qual lhe fez existir e do qual você é uma parte materializada. Quanto menos atribuir a si mesmo suas realizações, mais conectado estará com as sete faces da intenção, mais livre será para realizar e muito aparecerá em seu caminho. Quando nos apegamos às realizações e acreditamos que as conseguimos sozinhos abandonamos a paz e a gratidão à Fonte.

7. Deixe sua reputação de lado.

Sua reputação não está localizada em você. Ela reside na mente dos outros. Você não tem controle algum sobre isso. Ao falar para 30 pessoas, terá 30 imagens. Conectar-se com a intenção significa ouvir o coração e direcionar sua vida baseado no que a voz interior lhe diz. Esse é o seu propósito aqui. Ao preocupar-se demasiadamente em como está sendo visto pelos outros, mostra que seu eu está desconectado com a intenção e está sendo guiando pelas opiniões alheias. É o seu ego no controle. É uma ilusão que se levanta entre você e o poder da intenção. Não há nada a fazer, a não ser que você se desconecte da fonte de poder convencido de que seu propósito é provar o quão poderoso e superior é, desperdiçando sua energia na tentativa de obter uma reputação maior entre outros egos. Faça o que fizer, guie-se sempre pela voz interior conectada e seja grato à Fonte. Atenha-se ao propósito, desapegue-se dos resultados e assuma a responsabilidade do que reside dentro de você: seu caráter. Deixe os outros discutirem sobre a sua reputação, isso não interessa. Ou como o título de um livro diz: O que você pensa não me diz respeito!


© 2008 Direitos Autorais Dr. Wayne W Dyer


Tradução – Valeria N Thomaz


sexta-feira, 9 de janeiro de 2009


ORAÇÃO KAHUNA DO PERDÃO


ORAÇÃO ENSINADA PELOS KAHUNAS, ANTIGOS POLINÉSIOS.

Buscando eliminar todos os bloqueios que atrapalham minha evolução, dedicarei AGORA alguns momentos para “PERDOAR”.

A partir deste momento, eu perdôo todas as pessoas que, de alguma forma, me ofenderam, me machucaram ou me causaram alguma dificuldade desnecessária.

Perdôo sinceramente quem me rejeitou, me entristeceu, me abandonou, me humilhou, me amedrontou ou me iludiu.

Perdôo, especialmente, quem me provocou, até que eu perdesse a paciência e acabasse reagindo agressivamente, para depois me fazer sentir vergonha, culpa, ou simplesmente, sentir inadequada.

Reconheço que também fui responsável por estas situações, pois muitas vezes confiei em indivíduos negativos, escolhi usar mal minha inteligência e permiti que descarregassem sobre mim suas amarguras, suas histórias, seus traumas e seu mau humor.

Por tempo demais suportei tratamento indigno, humilhações, medo, grosserias e desamor, perdendo muito tempo e energia, na tentativa de conseguir um bom relacionamento com essas criaturas.

Agora, me sinto livre da necessidade compulsiva de sofrer e livre da obrigação de conviver com pessoas e ambientes que me diminuem e, principalmente, destas pessoas que se sentem incomodadas com a minha presença e a minha luz.

Iniciei, agora, uma nova etapa na minha vida em companhia de gente mais positiva, cheia de boas intenções, gente amiga, que se preocupa em ser saudável, alegre, próspera e iluminada. Gente preocupada em melhorar a qualidade de vida não só a nossa, mas de todo o planeta.

Queremos compartilhar sentimentos nobres, aprendendo uns com os outros e nos ajudando mutuamente, enquanto trabalhamos pelo nosso progresso material e nossa evolução espiritual sempre procurando difundir nossas idéias de unidade, de paz e de amor.

Procurarei valorizar sempre todas as conquistas que fiz e o amor que tenho em mim, evitando todas queixas desnecessárias, que me seguram nesta freqüência, de onde já consegui sair.Se, por um acaso, eu tornar a pensar nestas pessoas com quem ainda tenho dificuldade de convivência, lembrarei que elas todas já estão perdoadas.

Embora eu não me sinta na obrigação de trazê-las novamente para minha intimidade, eu o farei, se elas demonstrarem interesse em entrar em sintonia.

Agradeço pelas dificuldades que elas me causaram, pois isso me desafiou e me ajudou a evoluir, do nível humano comum, a um nível de maior amor e compaixão, maior consciência, em que procuro viver hoje.

Quando eu tornar a lembrar destas pessoas que me fizeram sofrer, procurarei valorizar suas qualidades e também liberá-las, pedindo ao Criador que também as perdoe, evitando que elas sofram pela lei de causa e efeito, nesta vida ou em outras.

Também compreendo as pessoas que rejeitaram meu amor e minhas boas intenções, pois reconheço que é um direito de cada um, não poder ou não querer corresponder ao meu amor.
Faça agora uma pausa e respire profundamente por algumas vezes para acumular energia... Quando se sentir pronto(a) continue.

Agora, sinceramente, peço perdão a todas as pessoas a quem, de alguma forma consciente ou inconsciente, magoei, prejudiquei ou fiz sofrer.

Analisando o que fiz ao longo da minha vida, sei que minhas intenções foram boas, embora nem sempre tenha acertado e que, estas coisas que fiz de bom, são suficientes para resgatar a dor do meu aprendizado, ainda deixando um saldo positivo ao meu favor.

Sinto-me em paz com minha consciência e, de cabeça erguida, respiro profundamente.......... prendo o ar............ e me concentro para enviar uma corrente de energia destinada ao meu EU SUPERIOR.

Ao relaxar, minhas sensações revelam que este contato foi estabelecido.

Agora, dirijo uma mensagem de fé, ao meu EU SUPERIOR, pedindo orientação, proteção e ajuda para a realização, de um modo acelerado, de um projeto muito importante que estou mentalizando e para o qual estou trabalhando com dedicação e amor. ( ...citar o projeto... ) e que será, com certeza, para o bem maior de todos os envolvidos.
Também peço que minha fé seja firme e que eu possa, cada vez mais, tornar-me um canal, uma conexão permanente com os Seres de Luz, desenvolvendo todos os potenciais que possam facilitar esta comunicação.
Que eu perceba todas as respostas às minhas perguntas e dúvidas, reconhecendo os sinais claros que estiver recebendo, sempre protegida e amparada pelo Universo.

Agradeço, de todo o coração, a todas as pessoas que me ajudaram e me comprometo a retribuir trabalhando para o bem do próximo, para sua alegria, seu bem-estar, atuando como agente catalisador de harmonia, entendimento, saúde, crescimento, entusiasmo, prosperidade e auto-realização.

Tudo farei sempre em harmonia com as leis da natureza e com a permissão do nosso Criador eterno e infinito que sinto como único poder real, atuante dentro e fora de mim.

ASSIM SEJA E ASSIM SERÁ.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009




TRANSIÇÃO PLANETÁRIA III – Os novos padrões


E aí, será que estamos realmente preparados para a transição?

Façamos essa questão internamente e deixemos que o nosso Eu Superior responda. Escutemos a sua resposta sincera e, se por acaso ainda nos restarem pendências, sejamos corajosos e enfrentemos as nossas lutas pessoais sem medo, resolvendo tudo o que ainda não foi resolvido, pois o tempo urge. É importante buscarmos forças e esclarecimento nas orientações que nos tem sido oferecidas pelo Cosmos durante todos esses anos de aprendizado, e então agirmos com presteza e objetividade.

O momento é de desapego, ou seja, a libertação de tudo aquilo que ainda nos prende à terceira dimensão onde a dor e o sofrimento são os meios que ainda utilizamos para evoluir.
O fato é que não poderemos prosseguir juntos com Gaia para a quinta dimensão (nível de consciência) se ainda estivermos apegados aos padrões caquéticos dessa sociedade em que vivemos. Precisamos nos abrir para uma nova forma de viver, com a mente livre de preconceitos e de crenças que nos foram incutidas por pessoas que visavam apenas o seu próprio enriquecimento e poder.

Sinto faltar pouco para a presente sociedade sucumbir junto a este sistema escravizante e desumano criado pelo egoísmo e ganância dos seus governantes (aqui leiam-se banqueiros, chefes de grandes instituições, indústrias e afins) e mantido por aqueles que se submeteram a isso sem questionar, uns por interesse, outros por comodismo, outros ainda por ignorância, fraqueza ou ingenuidade.

Felizmente, das cinzas deste antigo sistema deverá surgir uma nova sociedade baseada na união, na paz e no amor incondicional onde as diferenças serão somadas e o resultado será uma parceria sincera e enriquecedora, no qual o respeito pelo próximo e pela natureza serão regras primordiais a serem seguidas por todos.

Esta nova sociedade terá como alicerce os valores universais, éticos e morais resgatados do esquecimento ou desvirtuamento imposto pelo atual sistema.
Aqueles que se dispuserem a fazer parte deste novo começo deverão agir sempre com respeito pela vida, com honestidade, verdade, responsabilidade sobre o bem comum e regidos somente pelo Amor.

Diante da proximidade dos fatos, precisamos nos conscientizar de alguns pontos importantes e imprescindíveis para que enfrentemos esta transição conscientes e dispostos a construir um novo mundo, mais feliz e justo. É preciso já ir mentalizando as transformações para que elas sejam materializadas no astral e conseqüentemente no plano físico.

Abaixo estão alguns padrões que deverão ser estabelecidos um dia:

· Todos deverão ser tratados com respeito e amor independente da sua idade, raça, trabalho ou nível de conhecimento.

· Não existirão mais diferenças de classe social, pois o dinheiro não existirá mais e, portanto não será um parâmetro ou linha divisória entre os seres humanos.

· Todos trabalharão para o bem da comunidade e receberão dela tudo aquilo que for necessário para o seu conforto, bem estar e evolução.

· Todo trabalho “útil” à nova sociedade será considerado importante e valoroso independente do nível intelectual necessário para executá-lo. É claro que as profissões consideradas inexeqüíveis pelos novos padrões serão extintas.

· Não existirão mais diferenças religiosas, pois entenderemos a “Unidade” real entre nós em todos os níveis e sempre agiremos de acordo com o nosso “EU” maior. A nossa ligação com o Cosmos será direta e sem intercessores. A única religião (reli gare) existente será o AMOR inato em todos nós, portanto não será necessária nenhuma instituição que o represente.

· A preservação da natureza e o respeito por todas as formas de vida serão primordiais.

· A tecnologia será um bem comum e será sempre usada de acordo com os critérios acima descritos, somente para a evolução e nunca para a destruição.

· Todas as pessoas terão direito a boa educação, saúde e moradia de qualidade.

· Todas as decisões sobre a comunidade deverão ser tomadas em conjunto, respeitando a expressão de idéias de cada um e a sua experiência.

· Como não existirão diferenças sociais e econômicas, a competição deixará de existir em todos os níveis, até mesmo os jogos serão apenas para diversão e manutenção da saúde e não para demonstrar força ou fraqueza entre os participantes.

É preciso esclarecer que esses padrões não serão impostos, mas sim adotados como conseqüência de um nível mais elevado de consciência adquirido pela humanidade, onde a multiplicidade materializada será sempre percebida como “UNIDADE”.

Como vocês podem notar, as mudanças serão muitas e precisaremos de muita determinação e força interior para levar adiante esses propósitos de Luz. Para isso, devemos nos desapegar daquilo que não concerne mais com os conceitos reais de humanidade, só assim conseguiremos nos adaptar à nova realidade que se apresentará para nós.

Nos momentos que estão por vir, precisaremos estar serenos e íntegros internamente, pois tudo ao nosso redor estará em tremenda conturbação e as pessoas na sua maioria estarão totalmente desesperadas, pois tudo que falsamente pensavam ser a sua nutrição e fonte de alegria será destruído pela nova consciência que emergirá.

Para tanto é necessário nos fortalecermos emocionalmente e mentalmente praticando constantemente o silêncio, aliado a entoação de mantras e orações, nos elevando vibracionalmente para assim ficarmos protegidos das influencias negativas que estarão buscando brechas nas nossas auras para se infiltrarem e nos desequilibrarem.

Alguns de vocês já estão sentindo necessidade de se dirigirem para lugares ditos “seguros”. Porém estejam conscientes que, mais importante do que a disposição de se estabelecerem nesses lugares, será a capacidade de se transformarem internamente, refletindo isso no comportamento junto à comunidade. Tenham o entendimento de que as coisas não funcionarão mais a favor do pequeno “eu” de cada um, mas em prol de todo o grupo.

É, tudo isso pode parecer loucura ou irreal para a maioria, mas acreditem, a era da PAZ está muito próxima e dentro de pouco tempo o que terá valor será SER e não TER. Uma palavra de ordem está sendo ouvida em nossos corações: DESAPEGO! Desapego não só à matéria, mas principalmente aos padrões preconceituosos e egoístas desta sociedade falida.

Lançamos um grande apelo à Grande Consciência Cósmica pedindo a nossa libertação dos grilhões da ignorância* e é claro que seremos atendidos!

No Amor e na Luz!

Márian

* A ignorância a que sempre me refiro não é intelectual, mas a ignorância de si mesmo.