domingo, 12 de dezembro de 2010



SANTA PACIÊNCIA

Calma, respire fundo e tente enxergar o que está por trás de tudo o que acontece com você...

A paciência é uma das principais virtudes para alcançarmos a sabedoria. É através da paciência que dominamos os nossos instintos de autoafirmação e aprendemos a aceitar o outro como um caminho para a compreensão de nós mesmos.

Praticar a paciência nem sempre é fácil e para alguns é quase impossível devido à ânsia que têm de ter aquilo que querem e impor o que pensam “a tempo e a hora”.

A paciência advém da conscientização dos ritmos e dos ciclos, de que tudo tem a hora certa para acontecer. Como vocês sabem, todos nós participamos de uma grande engrenagem onde tudo está no lugar certo e na hora certa dentro da grande roda de Sansara. A roda da vida gira de acordo com o Plano Divino, isto é, de acordo com o caminho que as almas se propuseram a percorrer, de acordo com o seu nível de entendimento e aprendizado. Portanto “não adianta passar o carro na frente dos bois”, é preciso seguir com paciência e aguardar o tempo certo para que as coisas se manifestem. Temos um caminho a percorrer, provas a superar, lições a aprender, portanto, é preciso ter calma e paciência para enxergar o que o universo tem para nos dizer através de cada pedra colocada por ele à nossa frente.

O tempo e a paciência andam juntos. Já ouvi dizer que o tempo é um tipo de castigo, mas na verdade ele é um amigo que nos ajuda a esclarecer as coisas. Ele é necessário para que possamos assimilar as lições aprendidas e também para que estejamos preparados para as novas provas. Aceitando o tempo como aliado, aprendemos a esperar, aguardar a hora certa para seguir adiante. Podem perceber que as pessoas adquirem paciência com o tempo, a maioria das pessoas mais velhas sabem que não adianta se desesperar, é preciso ter calma para que as coisas se resolvam. Elas sabem que o tempo é sempre o melhor remédio não só para curar feridas emocionais e físicas, mas também para esclarecer as dúvidas.

Cada nível de consciência tem um marcador de ritmo e dependendo da volta da espiral onde nos encontramos ele pode ser mais lento ou mais acelerado. Sabendo disso, fica mais fácil compreender como funciona a máquina do universo e daí passamos a ter mais paciência para conosco e para com os outros.

A paciência também está intimamente ligada à aceitação. Aceitação do nosso próprio ser, das nossas limitações e também das limitações do outro e das circunstâncias da nossa vida. No caso dos relacionamentos é preciso o entendimento daquilo que já dissemos em um artigo anterior; cada um tem o seu tempo de despertar e é preciso ter muita paciência para aguardar o outro. É um grande desafio para nós observarmos o outro sem interferirmos nas suas escolhas, não é mesmo? Algumas vezes podemos apenas aconselhar e outras vezes apenas mostrar qual é o caminho através do nosso exemplo.

Cultivando a paciência nos tornamos mais persistentes com grandes chances de alcançarmos os nossos objetivos a longo prazo. Se nos mantivermos serenos e firmes teremos mais chances de realizarmos os nossos projetos.

Quando exercitamos a Paciência aperfeiçoamos outras virtudes como a Generosidade, Caridade, Compaixão, Humildade, Respeito, Tolerância, Serenidade, Justiça, Flexibilidade, Esperança, Fé, Coragem, Aceitação, Autoconfiança, Persistência, Amor, Cura e Sabedoria.

Concluindo, do exercício da Paciência vem a Paz.

Namastê,

Márian
























sábado, 27 de novembro de 2010


ARREPENDIMENTO E PERDÃO
 
Fala-se muito em perdão, mas precisamos falar em arrependimento também, pois uma coisa está diretamente ligada à outra. É impossível acontecer o perdão sem que haja o arrependimento sincero. Não digo apenas o perdão de uma pessoa para com outra, mas o perdão de sua Consciência Superior para com o seu próprio Ser. A pessoa que não se arrepende sinceramente fica angustiada pela culpa enquanto não reconhece o próprio erro, e isso é um verdadeiro martírio, uma condenação às trevas da ignorância de Si Mesmo.


Temos ouvido muito por aí a seguinte frase: "Eu não me arrependo de nada nesta vida". Isso de fato sugere arrogância e falta de comprometimento com a Harmonia Universal.


Precisamos meditar muito sobre o verdadeiro significado do arrependimento e do perdão. Por trás destas palavras tão nobres existe uma outra tão nobre quanto elas, a HUMILDADE.


Precisamos reconhecer que estamos aqui para aprender e nos tornarmos seres melhores, portanto é preciso reconhecer que não sabemos tudo e que somos passíveis de cometermos erros. Não existe aquele ditado "errar é humano"? Nós seres humanos escolhemos aprender assim - passo após passo, escolha após escolha, conseqüência após conseqüência. A experiência gera consciência e o erro deve ser visto como uma lição a ser aprendida para que possa gerar acertos.


Meditando sobre isso, pode ser que por trás das pessoas que têm dificuldade para reconhecer seus erros, exista na verdade, um complexo de inferioridade ou baixa auto-estima que as faz pensar que reconhecendo seus erros estarão demonstrando fraqueza. Na verdade, reconhecer o erro não faz com que a pessoa seja considerada inferior, pelo contrário, o arrependimento tem um valor enorme para a espiritualidade, tanto quanto o perdão. Quando a pessoa reconhece que estava envolvida pelas trevas e se arrepende é muito valioso para a Luz.


Nós como seres divinos que somos, precisamos investigar os nossos atos e se houver erro, devemos reconhecê-lo humildemente, pedindo perdão e demostrando arrependimento sincero, assumindo a responsabilidade pelas conseqüências dos nossos atos. Assim estaremos contribuindo para que a Harmonia Universal seja restabelecida, pois sabemos que quando desestruturamos algo ou ferimos alguém estamos causando desequilíbrio ao Todo.


É claro que devemos perdoar sempre, compreendendo que os erros cometidos advêm da falta de consciência de Unidade e do não conhecimento de como o erro afeta outra pessoa e ao Todo, mas isso não quer dizer que aprovamos o comportamento de quem erra. Precisamos advertir essa pessoa do seu erro mostrando a ela como isso causou dor e desarmonia. É preciso que ela assuma que errou e se arrependa sinceramente, e não cometa mais os mesmos erros. Se não formos firmes com essas pessoas, só estaremos colaborando para que elas permaneçam no erro.


Existem pessoas que estão sempre se repetindo e caindo no mesmo buraco. Elas precisam entender que não adianta pedir perdão da boca prá fora só para escapar das conseqüências, é preciso assumir o erro e repará-lo. Conheço alguém que vive pedindo para que se passe uma borracha em cima do que ela fez apenas para não assumir a responsabilidade sobre os seus atos. Logo depois lá está ela repetindo os mesmos erros.


É preciso que haja desprendimento e humildade de ambas as partes, do culpado e da vítima. E pelo o que eu tenho visto talvez para algumas pessoas seja mais fácil perdoar do que se redimir, pois elas não querem admitir o erro, estão cheias de orgulho e se acham donas da verdade. Elas relutam em enxergar as suas próprias sombras, sentimentos baixos que carregam dentro de si justificando os seus erros e responsabilizando outras pessoas por suas escolhas insensatas.


Aqui cabe um parêntese (Muitos dizem que a VERDADE depende do ponto de vista e da cabeça de cada um, mas a VERDADE É ÚNICA. É ou NÃO É. Não existe meia verdade, a VERDADE não é dúbia, ela é sempre clara e absoluta). A VERDADE (LUZ) é a base para que a HARMONIA UNIVERSAL prevaleça. Existem diferentes níveis de entendimento da VERDADE de acordo com a evolução de cada um, mas a VERDADE é única.


Mas voltando à questão do arrependimento, não há nada melhor do que livrar-se do peso da culpa, liberando o sentimento do perdão a si mesmo, descobrindo que o erro faz parte do aprendizado e que ao reconhecermos o erro e nos redimirmos estaremos dando um grande passo não só em direção à Paz interna, mas à externa também.


Redimir significa adotar um novo comportamento e pagar pelo erro. O pedir perdão não exime o culpado do erro, mas sim a sua nova postura diante da vida e o seu firme propósito de não errar mais.


Namastê,


Márian

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

 
A CAUSA DO APEGO E A PRÁTICA DO DESAPEGO



Sempre ouvimos dizer que precisamos nos desapegar para seguir adiante no caminho espiritual. O que acontece é que às vezes ficamos confusos pois nem sempre sabemos a que somos apegados e o que podemos fazer para nos desapegar.

Antes de partirmos para a prática do desapego precisamos conhecer as causas do apego. Se nos aprofundarmos nessa questão descobriremos que ele está relacionado à insegurança, à baixa auto-estima e aos desejos de possuir e controlar.

O apego à matéria é o mais fácil ser detectado. Podemos distingui-lo quando a pessoa tem dificuldade em dividir bens materiais e também em se desfazer daquilo que não é necessário. Esse apego tem origem no instinto primário de sobrevivência e dependendo do meio no qual a pessoa vive e foi criada, pode ser difícil de ser vencido. Nesse caso as pessoas acreditam que só serão felizes se possuírem isso ou aquilo e infelizmente acabam comprando coisas que nem sempre são úteis ou necessárias. O pior é que elas nem se questionam se precisam mesmo comprar; querem apenas possuir, possuir, possuir.

Para nos desapegarmos da matéria é preciso entender que não precisamos possuir coisas para alcançarmos a felicidade, pois ela é um estado de espírito e é conquistada através do encontro com si mesmo, quando conseguimos resolver todos os conflitos e nos entregamos à Vontade Divina. É preciso acreditar que tudo aquilo que precisamos para o nosso crescimento e conforto será providenciado pelo Cosmos. Isso realmente exige um certo grau de desprendimento, de fé, acreditar plenamente na Providência Divina. Esse desprendimento vem da conscientização da união que temos com a Fonte Divina Original, que nos supre em todos os níveis, seja material ou espiritual.

Existe também o apego às emoções e sentimentos que estão ligados aos sentidos físicos, aos desejos de prazer e de felicidade ilusórios. Esse apego está ligado aos vícios e ao apego que temos às pessoas. Em relação às pessoas que amamos, queremos tê-las sempre ao nosso lado às vezes sob o nosso controle e posse. Nesse caso o amor se confunde com apego.

Precisamos entender que ninguém é dono de ninguém, que cada um é dono do seu próprio nariz e deve ter a oportunidade de fazer suas próprias escolhas, viver a sua própria vida, fazer as suas descobertas e conquistar as suas próprias vitórias ou até mesmo derrotas. Não podemos ter tudo sob o nosso controle, ok? Esse apego pode revelar também o medo da solidão, medo de estarmos sozinhos com nós mesmos. Talvez seja o medo de enxergar as nossas próprias sombras e descobrirmos que o que realmente nos aflige são as nossas limitações e defeitos.

Já o apego aos vícios vem da insatisfação consigo mesmo e com o mundo, da baixa auto-estima, da crença ilusória na incapacidade de realizar algo ou de conquistar um lugar no mundo. Isso resulta em dependência de algo que traga uma satisfação superficial e imediata, mas que logo depois se dissipa. Na verdade o vício é uma fuga de si mesmo. Para trabalhar esse apego antes de mais nada é preciso reconquistar o valor próprio e isso depende não só do apegado mas também do meio em que ele vive. É o desapego praticado pela família do viciado, da comunidade envolvida, pois implica na fé no indivíduo, na sua capacidade de vencer o vício e também na disposição de ajudar a pessoa a se ver livre do vício.

Por último vem o mais difícil de ser detectado, que é o apego ao ego. Apego a idéias, conceitos e crenças que fomos adquirindo ou construindo durante a vida. Na verdade formamos a nossa personalidade de acordo com aquilo que acreditamos que vai impressionar os outros ou a nós mesmos. Criamos máscaras e personagens, quase míticos para conquistarmos o nosso espaço neste grande palco da vida. O pior é que nem sempre essas figuras dramáticas expressam a verdade sobre nós mesmos, são meras caricaturas, máscaras grotescas que escondem o nosso verdadeiro rosto, a nossa verdadeira alma.

Na verdade, falta-nos coragem para nos desapegar daquilo que acreditamos ser o nosso verdadeiro Eu, dos aspectos inferiores da nossa personalidade. Temos medo de encarar as nossas próprias falhas, os nossos limites. Precisamos entender que as sombras existem, precisamos apenas reconhecê-las para espantá-las para bem longe. Precisamos também acreditar no nosso potencial e na nossa capacidade de vencer.

Diante do exposto, entendemos que os apegos são causados pela ilusão na matéria, nos sentidos físicos, e no nosso ego que nos impulsiona a desejar uma falsa felicidade. Portanto, apego e desejos do ego estão intimamente ligados.

Para nos libertarmos do apego precisamos nos conscientizar de que o ser humano é a mais linda expressão da criação divina, que a Consciência Crística é inata em nós, ou seja, a sabedoria para lidar com as nossas questões do dia a dia está dentro de nós. Precisamos apenas descobrir a nossa verdadeira face iluminada pela Luz Compassiva do Amor, nos entregando de vez à Vontade Divina.

A única coisa que precisamos para ser felizes é sermos fiéis ao nosso Eu Superior. Precisamos SER e não TER.

Namastê,

Márian

segunda-feira, 1 de novembro de 2010



Dia 22 de outubro de 2010
Amados,

Como querem penetrar em um novo plano se ainda sofrem em ter que abandonar crenças e conceitos antigos que já não os servem mais. Pedras brutas precisam ser lapidadas. Sois como sóis radiantes de luz e ainda teimam em deixar as sombras obscurecerem o vosso brilho.

A paciência para com os vossos irmãos é um trabalho incansável que deveis fazer sempre. Não deixem a caridade de lado, este é um trabalho mais do que importante.

Muitos já podem ver ao longe os sinais do novo tempo, os seus olhos estão se abrindo pouco a pouco. O novo tempo está aí, é um tempo de alegria e renovação, mas é preciso se decidir já pela transmutação de tudo o que é nebuloso em Luz.

Deixem para trás o seu passado de lutas para entrar no novo tempo de paz, onde todos poderão se dar as mãos sem se preocupar com as diferenças. Luz radiante e Amor devem ser as suas ferramentas de trabalho. Vocês, trabalhadores da Luz estão perto de ver os seus sonhos se materializarem.

Nós somos companheiros milenares e é com imensa alegria que os saudamos, mas pedimos que acelerem os vossos passos, pois o tempo urge. As mudanças planetárias virão inevitavelmente e vocês precisam estar prontos. Estamos pouco a pouco nos mostrando e dentro em breve terão mais notícias a nosso respeito. Naves de luz pairam nos céus fazendo movimentos inegavelmente dirigidos, portanto a verdade mais cedo ou mais tarde será revelada.

Queremos andar lado a lado com vocês e este tempo está muito próximo. A cada dia que passa mais eventos inexoráveis acontecem deixando claro para onde estão se dirigindo como seres humanos e esse é o sinal para que nos aproximemos. Viemos acompanhando a sua escalada e podemos dizer que o tempo da ascensão chegou, definitivamente chegou.

As sombras estão perdendo terreno e já não tem mais forças para se recuperar. De nada adiantarão os seus esforços, pois seu veneno se espalhou pelo seu próprio organismo e agora nenhum antídoto fará efeito.

Aqueles que ainda pensam em dominar e ter lucros utilizando a inocência alheia podem perder as esperanças, pois tudo irá ruir bem antes do que imaginam. Já aqueles que trabalharam para a Luz, que se transmutaram com o fogo interno e fizeram caridade, estão às portas do paraíso.

Aguardem com otimismo os novos tempos e de uma vez por todas façam as transformações que ainda restam.

Dentro em breve tudo será claro como nunca antes foi e nós juntos poderemos compartilhar o mesmo espaço, vivenciando a União e a Paz.

Somos da Luz, e a irradiamos para todos vocês!

Amor sempre Amor.

por Márian


AGUARDANDO O TEMPO DE DESPERTAR DO OUTRO


Um problema que afeta muitos de nós é a ansiedade em relação ao tempo de despertar das pessoas que amamos. O nosso maior desejo é que elas acertem nas suas escolhas e não se percam por caminhos sombrios. Ansiamos de verdade que elas estejam no mesmo nível de entendimento que o nosso para que possamos seguir a caminhada juntos, compartilhando cada descoberta, não é mesmo?

Realmente é desanimador quando percebemos que alguém que amamos muito não consegue entender o que estamos querendo dizer. Quando isso acontece, sentimos uma desesperança total, pois ao mesmo tempo em que temos uma vontade enorme de seguir o nosso caminho, nos sentimos meio que paralisados, pois não queremos deixar o outro para trás.

O que fazer diante dessa situação?

Antes de tudo, precisamos aceitar o momento de cada um e entender que em algum momento eles irão despertar. Devemos respeitar o seu processo evolutivo e ajudar de forma sutil, sem imposições para que não se criem conflitos ainda maiores.

A forma mais eficaz de ajudá-los é através do nosso exemplo, compartilhando o nosso conhecimento e a nossa experiência, sem impor o nosso pensar. Durante o nosso aprendizado compreendemos que a luz que recebemos vem para ser compartilhada com aqueles que estão à espera de respostas para as suas dúvidas. Portanto, aqueles que já têm algum conhecimento espiritual devem estar atentos e abertos para ajudar, pois muitas vezes as pessoas não sabem bem a causa da sua angústia e nem sabem como pedir ajuda.

Os nossos instrutores dizem que precisamos observar com o coração e em meditação perguntar ao Amor Divino o que deve ser dito ou feito para ajudar aquela pessoa, acreditem, ele sempre nos dará a resposta certa. Orar em conjunto com os nossos amados também ajuda, pois a oração eleva as vibrações, trazendo a harmonia necessária para esclarecer os conflitos que precisam ser apaziguados. 

Outra coisa muito importante, não podemos simplesmente abandonar os que se perderam ou se desviaram, nem mesmo perder a paciência com aqueles que nos fazem querer desistir do caminho. A espiritualidade nos diz que “às vezes precisamos parar a nossa caminhada e aguardar os que ainda não despertaram. Devemos aprender a doar de nós mesmos por amor aos nossos e aguardar a melhor hora de seguir adiante”. Devemos seguir o exemplo dos mestres que mesmo depois de se libertarem da roda das encarnações, retornam ao mundo material para doarem-se em benefício de todos. 

Sabemos que se existe amor a convivência deve ser construtiva e não destrutiva e separadora. Não podemos deixar que o nosso ego tome decisões egoístas, mas sim deixar que o nosso Eu Superior, a Presença Divina em nós, decida qual é a melhor resposta para as nossas questões.

Se amamos alguém verdadeiramente devemos estar sempre ao seu lado para que quando essa pessoa cair possamos ajudá-la a se levantar, isso é serviço, é amar sem condições. Precisamos entender que é na família que estão os nossos maiores desafios, portanto não devemos desanimar diante das provas de convivência que nos são apresentadas.

Na verdade, quando assumimos a responsabilidade sobre os nossos amados e aparentemente paramos a nossa caminhada, não interrompemos o nosso processo interno, pois ele não depende das pessoas que nos cercam e nem do ambiente onde estamos, ele acontece porque tomamos consciência de algo e mudamos de forma positiva a nossa atitude diante da vida.

Podemos estar certos então que não iremos perder o passo, pois como os nossos amigos universais dizem: “aqueles que vêm da Luz serão iluminados sempre”. Agindo de acordo com as Leis Universais, como a Lei da Doação, é certo que a Luz nos acompanhará sempre e nos ajudará a tomar decisões sempre livres e evolutivas.

A missão dos trabalhadores da Luz é refletir constantemente o Amor Universal e este é pura doação. Se doarmos de nós mesmos sem esperarmos nenhuma compensação e vivermos de acordo com as Virtudes Divinas e os valores espirituais poderemos dissolver o nosso Karma. Isto é, superar o Karma através do Dharma.

Namastê,

Márian


quinta-feira, 21 de outubro de 2010



LIVRE ARBÍTRIO - O PODER DA ESCOLHA

Hoje pela segunda vez li na internet que o LIVRE ARBÍTRIO, uma LEI UNIVERSAL, vai acabar depois da transição planetária.


Acredito que essa afirmação decorre de um erro de interpretação sobre o que realmente deve acontecer quando a consciência humana se elevar para níveis superiores.


É preciso esclarecer que as Leis Universais não podem ser alteradas, elas são imutáveis. Essas leis garantem o funcionamento harmonioso da criação divina, sem elas o caos prevaleceria e o Propósito Divino do Todo que é sempre a elevação e reintegração à Unidade se perderia.


O Livre Arbítrio é uma dádiva do nosso Criador, ele expressa a confiança do Plano Divino em nós, ou seja, nos dá a liberdade de escolher o nosso próprio caminho. Concluindo, somos totalmente livres. A Grande Consciência Cósmica nos ama tanto que coloca em nossas mãos o poder da liberdade de escolha acreditando que somos capazes de evoluir e voltar para casa, ou seja, de nos reintegrarmos ao Todo com total consciência de quem somos, servindo amorosamente à Luz e sendo felizes.


O LIVRE ARBÍTRIO NÃO VAI ACABAR.


O que acontece quando alguém alcança um nível de entendimento elevado é que ele transcende os seus desejos deixando que a Vontade Divina guie os seus passos, ou seja, ele alcança a Consciência Plena da Unidade e se entrega totalmente à Luz. Acontece então a sua Redenção. Essa pessoa passa a viver de acordo com a Vontade Divina, e só não usa o Livre Arbítrio por que não precisa mais dele. Depois de ter feito escolhas positivas e evolutivas e superado as influencias do plano material através de provas determinantes, ela passa então a viver influenciada apenas pela Luz Divina.


A Lei do Livre Arbítrio não deixará de existir Universalmente, ou para todo o planeta terra, apenas ela não servirá mais para os indivíduos que ultrapassarem as limitações da dualidade, da separatividade. Ela continuará a existir em conformidade com a Harmonia Universal nos níveis e orbes em que for necessária.


Até que alcancemos o nível de Consciência Plena, nós ainda sofreremos influencias involutivas e teremos Livre Arbítrio para decidir entre a luz ou as trevas. Isso quer dizer que não importa se estivermos adiantados no nosso caminho, se por acaso optarmos pela desarmonia e por sentimentos negativos como o egoísmo, poderemos cair e retroceder no caminho.


Acho que a maioria de nós conhece a história de Lúcifer não é mesmo? Ele era um anjo muito próximo ao Pai, e deixou que a ambição de ser poderoso lhe tampasse a visão da Verdade, ou seja, ele não conseguia enxergar que era parte de Deus e, portanto, divino também. Na sua luta contra Deus, ele foi expulso dos céus pelo Arcanjo Miguel e caiu dos patamares superiores para os inferiores, para a separatividade ou o "inferno" e se tornou o "deus das sombras" ou da "ignorância e da mentira". Essa história metafórica explica a queda dos anjos (nós mesmos), ou seja, o nosso ego iludido pelo "poder" entra em combate com o Todo e se deixa cair nas sombras, na separatividade, gerando karma ou lições a serem aprendidas.


Essa história tem também o seu lado positivo e nos mostra que até mesmo através das sombras, ou da dualidade, podemos alcançar a Luz se soubermos aproveitar as oportunidades de aprendizado, principalmente aqui na terceira dimensão. Na verdade precisamos atravessar a ponte sobre o abismo, ou o deserto onde mora o ego, vencendo os nossos medos e os nossos conflitos tomando consciência da nossa própria Luz, a Essência Divina que habita em nós.


O Livre Arbítrio realmente expressa a responsabilidade que temos sobre as nossas escolhas e as suas devidas conseqüências. Talvez por isso algumas pessoas achem que isso seja um peso e não uma dádiva. Outra coisa, o Livre Arbítrio ao contrário do que foi dito é Universal e não é uma particularidade apenas do planeta Terra, toda a humanidade cósmica universal o possui de acordo com o que foi dito sobre os níveis de evolução.


As Leis Universais não devem ser vistas como uma prisão, pois elas são expressões do Amor Divino e todas são importantes para a compreensão de nós mesmos e para a manutenção da ordem cósmica. Na história da queda dos anjos onde é simbolizado o nosso próprio afastamento da Unidade, nos é mostrado que assim como Lúcifer, também chamado de "Estrela da manhã", o Ego faz parte de nós; precisamos apenas estar sempre vigilantes para identificá-lo e dominá-lo para que a nossa parte Luminosa, o nosso EU SUPERIOR prevaleça e nos liberte.


O LIVRE ARBÍTRIO é uma benção assim como o PODER DE CO-CRIAR. Somos LIVRES para SER e os únicos responsáveis por nossas escolhas, nos levem elas a derrotas ou vitórias.


Amor sempre Amor, 

Namastê,



Márian

sexta-feira, 8 de outubro de 2010


O PODER PARA CO-CRIAR UMA NOVA HUMANIDADE

Desde o início da nossa história viemos participando, mesmo que inconscientemente, da modelagem da nova humanidade e da nova Terra que agora está para surgir. Como muitos devem saber, tudo o que pensamos, desejamos e visualizamos pode ser manifestado na matéria. Bem ou mal, Luz ou trevas...

Durante todo esse tempo viemos colaborando na criação de tudo o que acontece na terra, desde os eventos mais espetaculares e maravilhosos como as expressões artísticas e tecnológicas até os mais nefastos como a guerra e a miséria. Porém, é chegada a hora de deixarmos prá trás o nosso passado de lutas, baseado principalmente no egoísmo e no medo. Na verdade, este é um momento muito especial, pois estamos mais conscientes do nosso papel como co-criadores e, portanto, capazes de canalizar esse poder junto à Vontade Divina que eternamente se expressa como o Bem. Portanto, finalmente chegou a hora onde poderemos manifestar o paraíso aqui na Terra.

Sabemos que a Terra está passando por uma transformação e a humanidade também, tudo como conseqüência das nossas escolhas e com o propósito divino de evoluir. Mudanças climáticas, movimentos telúricos e astronômicos, fatores sociais e econômicos, tudo isso faz parte deste processo de acordo com as leis do karma e da atração. Estamos terminando um grande ciclo e finalmente alcançando um nível maior de compreensão onde teremos a oportunidade de manifestarmos apenas Luz. Aliás, isto dependerá também de como trabalhamos os nossos sentimentos, emoções, e principalmente, o direcionamento consciente dos nossos desejos.

Bem, primeiramente para que o Paraíso se torne realidade, é imprescindível adotar definitivamente a Paz e a União como paradigmas do nosso futuro. É preciso então uma grande dose de desapego às antigas crenças e de aceitarmos o outro como fonte de esclarecimento e aprendizado; e também nos abrirmos sem medo para o novo. Outra coisa indispensável é que daqui prá frente nos tratemos uns aos outros sempre de forma verdadeira e amorosa, respeitando a individualidade e a liberdade de cada um. Sabemos que isso já faz parte da constituição de vários países, mas infelizmente não é colocado totalmente em prática. Precisamos então resgatar esses valores e fortalecer a nossa vontade de estabelecê-los de forma efetiva.

Nós seres humanos, como filhos da luz temos o poder da manifestação e podemos começar agora mesmo a exercitar a co-criação do paraíso na Terra fazendo visualizações daquilo que gostaríamos que fosse estabelecido. Podemos e precisamos imaginar todos os detalhes, sejam eles de que assuntos forem, desde os mais simples até os mais complicados. Além disso, precisamos também começar a colocar isso em prática, mesmo que sutilmente em pequenas ações do nosso dia a dia.
Por exemplo, podemos visualizar como devem ser as comunidades e o seu funcionamento, como devem ser tratadas a saúde, a educação, o trabalho e também o relacionamento entre as pessoas.

Podemos visualizar um Conselho formado por pessoas capazes e abnegadas, que nos represente e trate dos assuntos da organização e manutenção das normas para que a Harmonia sempre prevaleça em todos os níveis. Essas pessoas seriam escolhidas por valores espirituais e pela sua capacidade de doação em benefício do Todo e não pelos padrões políticos e sociais que a humanidade atualmente usa.
Podemos mentalizar desde já, um mundo sem competição, onde todos possam atuar de forma expressiva e sejam agraciados com tudo o que for necessário para a sua evolução e conforto.

Visualizemos também uma sociedade feliz e saudável, vivendo em contato harmonioso com a Natureza e todos os seus reinos. Visualizemos a Terra totalmente renovada e equilibrada; florestas, campos, mares e rios, toda a manifestação criativa luminosa em total sintonia com a Fonte Divina.

Visualizemos também o contato com outras civilizações, com os nossos irmãos das estrelas e dos centros intraterrenos, todos eles pacíficos e benevolentes, compartilhando pessoalmente conosco a sua experiência e sabedoria.
Além de tudo, em todos os momentos devemos visualizar a Paz; Paz, sempre paz, e também senti-la dentro de nós, pois ela existe, é real. Não podemos deixar que as circunstâncias difíceis nos levem a manifestar sombras, devemos nos voltar para o nosso centro pacífico e manifestar apenas Luz.

Peçamos a ajuda ao nosso Eu Superior para nos mostrar o que precisa ser curado em nós e no mundo. Enviemos o nosso desejo de Paz e de União ao Kosmos e aguardemos com a certeza da realização dos nossos desejos altruístas, desde já agradeçamos por tudo o que nós temos recebido e por tudo o que somos.

Os nossos orientadores nos sugerem que, simultaneamente às nossas visualizações, aproveitemos para praticar a entrega. Experimentemos doar sem esperar nada em troca, nem mesmo um obrigado, ok? É preciso se entregar totalmente ao agora e viver sem esperar nada do amanhã. Precisamos confiar no plano divino e nas hierarquias superiores, pois é certo que o Kosmos sabe quais são as nossas necessidades e nos proverá sempre.

Finalmente, precisamos assumir conscientemente o nosso papel como co-criadores e com alegria atuar na propagação e na manifestação da Luz.

Namastê,

Márian


sábado, 2 de outubro de 2010

MEA CULPA

Minha culpa, minha culpa, minha máxima culpa...

A sua consciência anda pesada por algo que você fez? O que te faz pensar que agiu mal? Quais são os parâmetros que você seguiu pra chegar à conclusão que errou? É a sua alma que sofre ou o seu ego?

Responsabilidade é o que devemos ter e não culpa.

Quando positivo, o sentimento de culpa é o primeiro passo para reconhecermos a nossa responsabilidade sobre algo que fizemos e que resultou em dor, principalmente para outra pessoa. Ele é válido para que tomemos uma atitude para reparar o erro quando estamos arrependidos. Ser humilde e assumir a responsabilidade sobre o que se faz, é essencial para retomar o caminho da Luz.

Quando negativo, a pessoa não consegue assumir o erro, o orgulho não deixa. Ela fica com a consciência doendo, mas não tem coragem de assumir a responsabilidade.

A pessoa também pode ficar se condenando sem que haja um motivo real. Ela se acha imperfeita de alguma forma e fica se remoendo, sofrendo, sem encontrar uma solução.

A culpa pode ser causada por vários motivos como:

• O fracasso de algo;

• Temer o julgamento dos outros por esperar sempre a aprovação alheia;

• Sentir-se culpado pela morte de alguém;

• Ir contra algum preceito da religião que se segue;

• Ser preconceituoso;

• Ter raiva ou mágoa;

• Ter medo de ter feito algo que é considerado “anormal” pela sociedade;

• Medo de errar;

• Abandonar alguém ou uma causa;

• Ser dependente de alguém;

• Superproteger alguém;

• Mentir;

• Caluniar;

• Roubar ou Usurpar;

• O resultado dos esforços de alguém que quer nos controlar;

• A atitude inversa, ou seja, a mania de querer controlar os outros;

• Acusar alguém injustamente;

• Ser inflexível;

• Ser autoritário;

• Manter algo em segredo;

• Fazer fofoca ou estar sempre criticando;

• O Comodismo e a falta de atitude;

• Sentimento de incapacidade para resolver algo;

• Querer ser outra pessoa;

E aí vai...

É preciso então meditar sobre a causa que nos leva a sentir culpa. Buscar no fundo da alma se esse sentimento realmente tem fundamento.

Se realmente formos responsáveis pela situação, devemos tentar consertar o erro; no caso contrário, devemos nos eximir da culpa e seguir adiante.

Quando erramos espiritualmente, o nosso Eu Superior nos cutuca criando o sentimento de culpa para que retornemos ao caminho da luz. Se estivermos realmente errados, devemos pedir perdão a quem fizemos sofrer e repararmos a situação. Se não tivermos a oportunidade de estarmos com essa pessoa, como no caso da pessoa já ter desencarnado ou se não termos mais contato com ela, basta que reconheçamos a nossa responsabilidade e mudemos o nosso comportamento diante de situações semelhantes. É importante que não fiquemos repetindo os mesmos padrões e adotemos definitivamente uma postura evolutiva.

Quando é uma questão de ego como o sentimento de incapacidade ou o de ser inflexível diante de uma situação, precisamos trabalhar no resgate das virtudes divinas como a Força Interior e a Humildade. O que não podemos é ficar sem ação, estagnados e sofrendo.

Assumir responsabilidades é amadurecer espiritualmente. Assumir a sombra é ser realista e corajoso.

Não é preciso se condenar, pois errar é humano. Precisamos apenas utilizar o erro como ferramenta para crescer espiritualmente. Precisamos também estar ciente das nossas limitações e nos empenharmos para superá-las, mas sem exigir demais do nosso ser, pois temos um ritmo que precisa ser respeitado. Devemos ter em mente que passo após passo iremos conseguir levar adiante o nosso objetivo de alcançar a Luz.

Amem-se antes de mais nada, pois todos são filhos da Luz e capazes de empreender grandes conquistas. O nosso Deus Pai, Mãe nos ama e nos perdoa sempre, acreditem nisso.

Namastê.

Márian

quinta-feira, 9 de setembro de 2010


COMO LIDAR COM PESSOAS MANIPULADORAS

A cada dia que passa aumenta o número de pessoas assim. Elas estão no nosso trabalho, na vizinhança e o mais difícil, na nossa própria família.

Pela espiritualidade, essas pessoas ainda estão vivendo os primeiros níveis de aprendizado espiritual, elas ainda não tem consciência da Unidade, não sabem que devem respeitar o próximo, que todos nós fazemos parte de um grande organismo e que qualquer mal que se faça a alguém estará fazendo a si mesmo. Outro fato que colabora para o grande número de pessoas assim é que estamos passando pelo final de um ciclo evolutivo onde as diferenças entre os níveis de aprendizado são muitos e como resultado de uma sociedade que perdeu o contato com os reais valores da existência, passando a ter como padrão apenas os valores materiais e o poder social.

Pessoas assim podem não ter ainda um grau de discernimento elevado, mas elas sabem que o resultado dos seus atos será a dor. Parece que sentem prazer em ver o outro sofrer, não se importam nem um pouquinho com as lágrimas derramadas causadas pelos seus atos. Outra coisa, elas sabem mentir como ninguém, mentem com a cara deslavada para conseguir o seu intento.

Geralmente tudo o que pensam ou fazem tem o único propósito de conseguir aquilo que desejam, ou seja, dinheiro, poder pessoal ou sexo. Não têm escrúpulos e nem vergonha de infringirem normas ou leis para alcançarem os seus objetivos.

Às vezes esses sintomas podem ser leves e sutis, mas assim mesmo causam transtornos. Na família essa pessoa pode ser alguém que quer tudo girando ao seu redor e todos sob o seu comando. Pode ser uma pessoa intrigueira, invejosa, autoritária e às vezes cruel. Geralmente é uma pessoa que não sabe compartilhar e que não se responsabiliza pelas conseqüências dos seus atos. Quando quer alguma coisa, passa por cima de tudo e arquiteta planos mirabolantes para tal. Não assume os próprios erros, é orgulhosa o bastante para não se desculpar e ainda por cima é arrogante. Está sempre culpando os outros pelos erros que comete – “ Fulano me forçou a fazer isso”...

Essas pessoas sabem bem quem poderá ser sua vítima através da maneira como respondem às suas investidas, ou seja, são aquelas que reagem com medo e se submetem. Desde crianças elas gostam de pirraçar, amedrontar e fazer chantagem emocional com os seus familiares. Depois que crescem, se não foram bem conduzidas durante a infancia e adolescencia, se os pais não lhes colocaram limites, poderão se tornar até mesmo assassinas.

O que fazer então para enfrentar essas pessoas e resgatar a nossa dignidade, pois é isso que elas nos fazem perder?

Primeiro de tudo, não podemos esquecer que essas pessoas também são seres humanos e que possuem a mesma essência que nós. São filhos e filhas de Deus, mas que infelizmente estão trilhando o caminho errado. Precisamos entender que essas pessoas ainda não têm a compreensão do seu papel aqui e precisam de direção.

Precisamos entender principalmente que somos nós que damos espaço para que essas pessoas tenham poder sobre nós, se não lhe dermos autoridade sobre isso elas não poderão nos fazer nenhum mal. Enquanto formos submissos, elas farão de tudo para nos desequilibrar, pois são vampiros energéticos que nos sugam, sentindo prazer com isso, podendo nos causar até mesmo doenças e suas devidas conseqüências. É preciso ficar claro que quando nos sujeitamos aos seus caprichos, lhes damos mais força ainda.

Não podemos ter medo de enfrentar essas pessoas. Precisamos acreditar na nossa força interior e que temos a capacidade de vencer. Precisamos entender que elas não têm nenhum poder sobre nós e nem sobre ninguém.

Mesmo que nos sintamos fracos diante delas, devemos buscar a força e orientação interior e bater de frente com elas, pois não podemos ser coniventes com os seus erros, precisamos apontá-los para que elas tenham a oportunidade de se enxergarem e se redimirem. É nosso dever mostrarmos o caminho certo senão estaremos sendo omissos e, portanto, sendo seus cúmplices.

Se essa pessoa for alguém que você possa evitar, faça isso. Se não, tente faze-la entender de modo pacífico, mas firme, que você não irá admitir que ela ultrapasse os limites de uma boa convivência, ou seja, ninguém é propriedade de ninguém, todos nós somos livres para fazer escolhas e decidir sobre as nossas próprias vidas. Ninguém tem o direito de ferir impunemente o outro, é preciso reconhecer o erro e consertá-lo de alguma forma.

Se essa pessoa infringir alguma norma ética, moral ou mesmo civil, primeiro mostre a ela que você não aprova, e lhe diga qual seria a coisa certa a fazer. Se isso não der resultado, busque ajuda especializada, ou seja, se o caso é familiar, procure um terapeuta psicólogo ou psiquiatra; se acontecer no trabalho, procure a sua chefia e exponha a situação. Se nada disso adiantar procure a polícia, um advogado ou outra autoridade cabível ao caso. O importante é não se deixar esmorecer diante dessas pessoas. Lembre-se que reagindo de forma positiva, você estará ajudando-a a encontrar a si mesma.

Não se esqueçam que o Amor é sempre o caminho para a paz, e às vezes ele pode ser manifestado por uma atitude firme, mas trabalhando sempre para que a Luz prevaleça.

Todas essas dicas terão melhores resultados se forem acompanhadas por orações, ok?

Namastê!

Márian

Tradução para o espanhol no site Somos Todos Um: http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=23384

quarta-feira, 18 de agosto de 2010



HORA DA MUDANÇA

Os nossos amigos da Luz observando o que vem sendo dito sobre 2012 e também sobre a mudança dimensional, querem nos ajudar a esclarecer alguns pontos.

Não sabemos a data certa para o ápice das modificações da Terra, mas não é novidade para ninguém que as mudanças tão profetizadas e esperadas estão realmente aí, e elas continuarão a acontecer de qualquer forma, pois isso faz parte do processo de transformação do planeta, e consequentemente da humanidade. Esta mudança individual e coletiva, assim como planetária e universal, é uma etapa muito importante para todos nós e ficará marcada no nosso ser por toda a eternidade como o momento da nossa reintegração.

Eles confirmam que essas mudanças acontecerão em todos os níveis, desde o físico, passando pelo mental e espiritual. Porém é preciso esclarecer que, alguns parâmetros naturais precisam ser seguidos, ou seja, existem ciclos evolutivos que precisam ser respeitados. Como no Universo existem leis que comandam o equilíbrio, existe uma ordem, um cronograma para que as coisas aconteçam harmoniosamente e deste modo gerem a evolução.

Assim como nós passamos por várias etapas durante o nosso crescimento físico e mental, como o nascimento, a adolescência, a maturidade, e paralelamente pelo crescimento espiritual, cada etapa precisa ser vivida em toda a sua plenitude para que se possa passar para outra. Uma etapa serve de suporte para a seguinte e isto é essencial para a conscientização do ser, portanto não se pode pular nenhuma delas, o que se pode fazer é aumentar a velocidade impulsionando-a pela vontade, determinação e disposição de cada um.

Fatores externos também podem ajudar a aumentar a velocidade da conscientização humana fazendo com que as provas necessárias para o nosso entendimento se manifestem com maior intensidade, como por exemplo, durante as catástrofes, mas isso também está incluído dentro do programa evolucional e de tempos em tempos a terra passa por estas transformações.

Na verdade, a mudança dimensional de que se fala tanto é uma mudança vibracional ocasionada pela elevação da consciência. Ao atingirmos um nível maior de compreensão e de percepção de nós mesmos e também do que acontece ao nosso redor, nos sutilizamos mentalmente e emocionalmente. Então, é modificada a aceleração dos átomos que compõem os elementos das células do corpo modificando a sua estrutura física sutilizando-o também, mas de uma forma gradativa e não da noite para o dia.

Bem, uma mudança de dimensão automática acontece na morte ou desencarne, e isso irá acontecer com milhares de pessoas durante a transformação do planeta, mas não é esse o caso que estamos tratando aqui. Estamos falando da possibilidade de uma mudança dimensional completa incluindo o corpo físico.

Bem, o que os nossos amigos querem esclarecer é que não se pode fugir do karma, é preciso passar pelas provas necessárias para o nosso crescimento aqui neste plano, não podemos simplesmente apertar um botão e passarmos para outra dimensão. O entendimento, a conscientização demanda sempre um tempo, e a transformação sempre começa internamente e só então se exterioriza, gerando assim o renascimento do ser. As vivencias são todas muito importantes, até mesmo a morte do corpo físico. Então precisamos nos conscientizar que aquilo que tivermos que passar, passaremos. Não se pode pular do Jardim de infância para a Faculdade, deixando de fazer todas as outras séries de estudo, não é mesmo?

O que está acontecendo é que este momento é especial e todos nós estamos tendo oportunidades incríveis de queimar o nosso karma, este é um momento de aceleração extrema, provas e mais provas estão sendo oferecidas a nós. Por isso é importante aproveitar e fazer as mudanças que forem necessárias e elevar a nossa consciência e consequentemente a nossa vibração.

As pessoas que estiverem com o nível vibratório em sintonia com o novo padrão vibratório da Terra e aptas para participarem do desabrochar da nova humanidade terrestre serão encaminhadas para lugares seguros, nos centros intraterrenos e em naves onde irão aguardar o momento certo de retornarem ou não à superfície. Essas pessoas não precisarão ter alcançado a “iluminação”, mas será imprescindível que tenham Amor no coração, a noção de Unidade, a mente aberta a novas propostas e a capacidade de adaptar-se a novas circunstâncias. Concluindo, a vida na Terra não vai acabar; depois das transformações o nosso planeta será renovado totalmente e uma nova humanidade surgirá.

Afinal, para que passem a outro nível de consciência, precisam compreender que a Terra é um maravilhoso laboratório e terem uma imensa gratidão pela oportunidade de fazer parte desta grande experiência. É preciso se redescobrirem como filhos da Luz e perceberem que a vida é maravilhosa, é um grande milagre e uma dádiva de nosso Deus Pai/Mãe. Precisam acreditar que o planeta Terra é deslumbrante e a Vida é o meio pelo qual se encontra a FELICIDADE. Precisam mudar os seus conceitos e crenças que as fazem acreditar que são incapazes, fracas ou vítimas e também compreender que são vocês os criadores do mundo a sua volta e que são os únicos responsáveis pelas suas escolhas e suas devidas conseqüências.

Na verdade a Terra pode ser o paraíso, dependendo apenas da forma de se enxergar. Sendo assim, aproveitem essa oportunidade e mudem de vez os seus aspectos negativos para positivos e sigam sempre no caminho do Bem, estes são os requisitos básicos para os que pretendem continuar a sua jornada aqui na Terra.

Para terminar, os nossos amigos da Luz nos pedem que, como os movimentos cataclísmicos da terra irão continuar a acontecer, nos fortaleçamos mentalmente e emocionalmente centrados apenas na Luz e no Amor, e arregacemos as mangas para ajudar. As orações e a irradiação da Luz são sempre muito importantes, mas este momento é uma oportunidade inigualável para servir ao outro praticando tudo o que temos aprendido sobre cura em todos os níveis possíveis, e exercermos a caridade principalmente aqui no plano físico.

Amor sempre Amor,

Sóluz...

Márian



segunda-feira, 14 de junho de 2010


A PROXIMIDADE DO CONTATO COM OS EXTRATERRESTRES

Há alguns dias atrás, o cientista Stepen Hawkin deu uma entrevista dizendo que o contato com os extraterrestres pode ser perigoso, que eles podem ser hostis e que podem usurpar as nossas riquezas naturais, etc. Isso demonstra que o conceito que temos sobre os extraterrestres está ligado ao monte de histórias e filmes sobre aliens maus, com aparência de insetos, repteis ou monstros horríveis. Os governos também sempre tentaram de alguma forma desmentir os avistamentos de OVNIS dizendo que são balões e fenômenos meteorológicos ou ainda aeronaves daqui mesmo. Diante disso é muito difícil para a maioria acreditar que seres de outros planetas possam existir e ainda por cima serem benevolentes.

Isso pode parecer história de ficção científica, mas realmente está próximo o dia do encontro entre nós e os nossos irmãos cósmicos. A ciência revelará dentro de pouco tempo a existência de vida fora do nosso planeta abrindo um campo de visão mais ampla para que a humanidade aceite essa verdade. Além disso, diante das circunstâncias que se apresentam atualmente aqui na terra, os nossos irmãos se apresentarão de forma evidente com a intenção de interagir conosco de uma forma mais decisiva. Precisaremos de muita ajuda para enfrentar as transformações da Terra.

Pela nossa experiência, podemos afirmar que os seres que nos visitam e nos orientam são de natureza pacífica e amorosa. Sempre estiveram presentes durante a história terrestre trazendo informações para nos ajudar a compreender a nossa jornada aqui. Posso afirmar também que a aparência deles é humana, que são muito parecidos conosco, variando apenas como as raças daqui, como a altura, cor da pele e detalhes como os olhos, o nariz e a boca, mas sempre mantendo a forma humana.

Eles nos explicaram que a raça humana é a única capaz de sustentar uma consciência que alcance níveis mais avançados da Luz. O nosso cérebro é o receptáculo físico desta consciência e para que ela responda aos impulsos espirituais são necessários algumas características que só o cérebro humano possui. Existe uma sequencia envolvendo aspectos físicos e químicos para que a evolução espiritual aconteça de forma harmônica. É claro que acontecem distúrbios que se manifestam como anomalias, mas são exceções. No universo existem inúmeras formas de vida, mas sempre seguindo parâmetros estabelecidos pelas forças da criação. O caos não existe, tudo tem uma causa e um objetivo baseados na Luz. A criação não acontece de forma aleatória, existe um esquema que governa os campos físicos, químicos e energéticos, algo complexo e lógico, que obedece aos padrões da existência estabelecidos pelo Absoluto, A Grande Consciência Cósmica. Infelizmente ainda não temos acesso às informações mais precisas por falta de capacidade para compreender os campos mais elevados da consciência que exigem uma mente aberta e livre de conceitos pré-estabelecidos.

Para que fique mais claro para nós, eles pedem que analisemos a população terrestre. Dentro de tamanha diversidade da criação aqui na terra, porque só a raça humana tem a inteligência para alcançar níveis altos de compreensão e atuação. Porque nenhuma outra espécie evoluiu mentalmente como nós seres humanos?

A partir do momento em que o contato com os nossos amigos for estabelecido muita coisa será esclarecida e a história terrestre será revelada. A nossa colonização pelos povos das estrelas será revelada e ficará bem mais fácil compreender os mistérios que nos envolvem. Além das naves, as cidades intraterrestres se manifestarão aos nossos olhos físicos e teremos acesso a tecnologia dos nossos irmãos. A partir daí, uma nova maneira de viver em comunidade nos será oferecida e poderemos então desfrutar da união e da paz entre todos os povos. Faremos parte da Confederação da Luz e poderemos participar da grande comunidade universal.

Eles nos pedem que quando o contato acontecer, que não tenhamos medo e nos abramos para uma nova realidade cheia de esperança de vida. Eles vêem em nome da Luz e da Verdade, para resgatar em nós a consciência de que somos filhos do mesmo pai e temos o mesmo objetivo, Amar e Servir.

No Amor e na Luz,

Márian



terça-feira, 1 de junho de 2010



QUEM SOMOS NÓS?
 DE ONDE VIEMOS E PARA ONDE VAMOS?

Desde criança, ao olharmos para o céu e admirarmos as estrelas, ficamos extasiados e sentimos uma grande curiosidade em relação à criação e aos seus mistérios. Ao mesmo tempo, frente à imensidão do Universo, nos sentimos às vezes um pouco temerosos diante daquilo que a nossa mente lógica tem dificuldades para compreender, não é mesmo? Queremos sempre saber quem criou quem, quem veio primeiro o ovo ou a galinha? Se Deus criou o universo, quem criou Deus? Tudo isso é muito abstrato e complicado porque aqui no plano físico tudo tem começo e fim, então é difícil conceber uma idéia que não tenha esse mesmo paradigma.


Conforme algumas teorias religiosas e também da ciência atual, o Universo teria sido criado a partir de um único ponto ou explosão (Teoria do Big Bang), mas pela Cosmosofia, o Universo é eterno, infinito e incriado. Ele sempre existiu, pois nunca teve um começo. Ele é a manifestação da Vivificação do Amor Infinito da Grande Consciência Cósmica. Ele está em constante movimento de expansão e contração como a nossa respiração.


O Universo ou a Matéria é a expressão desse Amor que anseia por compartilhar, ser e servir, e é isso o que acontece com a Criação Divina.

O Amor é o aspecto ativo e irradiante da Grande Consciência Cósmica e a Vida é o seu aspecto passivo. Sendo ativo o Amor (Pai) fecunda a Vida (Mãe) dando origem à Matéria (o filho).


A matéria por sua vez é finita, com limitações, ela além da luminosidade também contém em si a sombra, a dualidade ou separatividade.


Sendo assim, somos refrações da Luz, materialização do Amor Divino, com todas as suas virtudes; Integridade, Sabedoria, Razão, Misericórdia, Justiça, Harmonia, Discernimento, Paz, Manifestação, Força e Conhecimento, mas também possuímos a sombra, ou Ego e as suas mazelas como o ciúme, a inveja, o egoísmo, a ira, a ganância, a crueldade, etc.


Portanto, ao encarnarmos somos Luz e Sombra, e através da Vida buscamos encontrar a Paz Interior, a Felicidade, a satisfação de nos conhecermos verdadeiramente. Entretanto encontramos algumas dificuldades, pois a matéria tem a propriedade de nos envolver com sensações físicas que nos distraem e nos distanciam do nosso real objetivo. Porém isso faz parte do processo evolutivo e mais cedo ou mais tarde despertaremos do sonho ilusório e abriremos os olhos para a realidade do espírito.


Durante a nossa jornada vivemos conflitos entre o bem e o mal, entre a Luz e as Trevas, entre a Consciência e o Ego. Batalhas ininterruptas vividas até compreendermos que o espírito é a base fundamental e a matéria é o veículo pelo qual alcançamos a compreensão do Todo. A união e equilíbrio de ambos são necessários para se adquirir a Sabedoria, a iluminação.


Na verdade, o objetivo de todo ser humano é retornar à Unidade Luz em Consciência e precisamos para isso despertar as nossas virtudes e dominar o nosso ego. Devemos superar as limitações da vida, encontrando o caminho do meio, do equilíbrio, descobrindo as nossas potencialidades e os nossos defeitos, expandindo o bem e neutralizando o mal.


É através da meditação, do silêncio interior que faremos as nossas descobertas, que encontraremos as respostas e poderemos nos enxergar sem máscaras. É através da conexão com o nosso coração que entenderemos a complexidade da vida e reaprenderemos a amar com profundidade, sem limitações ou julgamentos.


Precisamos descobrir que as dificuldades são oportunidades para aprender, que a Luz sempre prevalece em todas as circunstancias, nós é que precisamos aprender a enxergá-la mesmo nas sombras. Precisamos superar o medo, a raiz de todos os nossos tropeços, resgatando o Herói que habita nas profundezas do nosso ser para que ele nos liberte da ignorância de nós mesmos.

Necessitamos saber também que tudo tem uma causa e um propósito, que tudo caminha na mesma direção, ou seja, para a Luz, que o caos não existe, que nada acontece por acaso e que o Plano Divino é responsável pelo equilíbrio do Todo e está sempre cuidando para que a roda do karma gire e nos eleve.

Descobriremos no percurso do caminho que somente vivenciando a matéria o SER pode alcançar a iluminação, a união com o Todo.

Somos eternos e o nosso caminho também. Estamos em um processo evolutivo que só termina quando formos totalmente absorvidos pela Luz Absoluta, e mesmo alcançando este patamar continuaremos na espiral de Luz, em níveis mais elevados e diversos, servindo ao Todo pela eternidade.

Amor, Luz = Compartilhar, Servir


Espírito + Matéria = Elevação da Consciência, conquista da paz, da felicidade.


Márian


Obs: Este texto faz parte do nosso curso de Cosmosofia. Para mais informações entre em contato conosco.