domingo, 12 de dezembro de 2010



SANTA PACIÊNCIA

Calma, respire fundo e tente enxergar o que está por trás de tudo o que acontece com você...

A paciência é uma das principais virtudes para alcançarmos a sabedoria. É através da paciência que dominamos os nossos instintos de autoafirmação e aprendemos a aceitar o outro como um caminho para a compreensão de nós mesmos.

Praticar a paciência nem sempre é fácil e para alguns é quase impossível devido à ânsia que têm de ter aquilo que querem e impor o que pensam “a tempo e a hora”.

A paciência advém da conscientização dos ritmos e dos ciclos, de que tudo tem a hora certa para acontecer. Como vocês sabem, todos nós participamos de uma grande engrenagem onde tudo está no lugar certo e na hora certa dentro da grande roda de Sansara. A roda da vida gira de acordo com o Plano Divino, isto é, de acordo com o caminho que as almas se propuseram a percorrer, de acordo com o seu nível de entendimento e aprendizado. Portanto “não adianta passar o carro na frente dos bois”, é preciso seguir com paciência e aguardar o tempo certo para que as coisas se manifestem. Temos um caminho a percorrer, provas a superar, lições a aprender, portanto, é preciso ter calma e paciência para enxergar o que o universo tem para nos dizer através de cada pedra colocada por ele à nossa frente.

O tempo e a paciência andam juntos. Já ouvi dizer que o tempo é um tipo de castigo, mas na verdade ele é um amigo que nos ajuda a esclarecer as coisas. Ele é necessário para que possamos assimilar as lições aprendidas e também para que estejamos preparados para as novas provas. Aceitando o tempo como aliado, aprendemos a esperar, aguardar a hora certa para seguir adiante. Podem perceber que as pessoas adquirem paciência com o tempo, a maioria das pessoas mais velhas sabem que não adianta se desesperar, é preciso ter calma para que as coisas se resolvam. Elas sabem que o tempo é sempre o melhor remédio não só para curar feridas emocionais e físicas, mas também para esclarecer as dúvidas.

Cada nível de consciência tem um marcador de ritmo e dependendo da volta da espiral onde nos encontramos ele pode ser mais lento ou mais acelerado. Sabendo disso, fica mais fácil compreender como funciona a máquina do universo e daí passamos a ter mais paciência para conosco e para com os outros.

A paciência também está intimamente ligada à aceitação. Aceitação do nosso próprio ser, das nossas limitações e também das limitações do outro e das circunstâncias da nossa vida. No caso dos relacionamentos é preciso o entendimento daquilo que já dissemos em um artigo anterior; cada um tem o seu tempo de despertar e é preciso ter muita paciência para aguardar o outro. É um grande desafio para nós observarmos o outro sem interferirmos nas suas escolhas, não é mesmo? Algumas vezes podemos apenas aconselhar e outras vezes apenas mostrar qual é o caminho através do nosso exemplo.

Cultivando a paciência nos tornamos mais persistentes com grandes chances de alcançarmos os nossos objetivos a longo prazo. Se nos mantivermos serenos e firmes teremos mais chances de realizarmos os nossos projetos.

Quando exercitamos a Paciência aperfeiçoamos outras virtudes como a Generosidade, Caridade, Compaixão, Humildade, Respeito, Tolerância, Serenidade, Justiça, Flexibilidade, Esperança, Fé, Coragem, Aceitação, Autoconfiança, Persistência, Amor, Cura e Sabedoria.

Concluindo, do exercício da Paciência vem a Paz.

Namastê,

Márian