quarta-feira, 24 de agosto de 2011







CONSCIÊNCIA DA UNIDADE – DESPERTANDO PARA UM NOVO MUNDO

Apesar das notícias nem sempre positivas, estamos vivendo dias imensamente reveladores e transformadores. Grandes mudanças estão ocorrendo, principalmente nos níveis sociais e econômicos. Está claro que grande parte da humanidade não aceitará mais ser escravizada por regimes totalitários e também não se deixará mais ser manipulada pelo atual sistema de crenças e valores.

Os valores éticos, morais e espirituais realmente importantes estão pouco a pouco sendo resgatados, como a união da família, a compaixão, a verdade, a humildade, a honestidade, a doação, etc. É claro que ainda vemos muita violência, descriminação, desvalorização da vida e corrupção, mas podemos sentir que as mudanças na consciência da humanidade estão começando a ficar evidentes. Uma nova visão de quem somos e do que podemos realizar para criar uma nova humanidade está se manifestando diante dos nossos olhos.

FELIZMENTE A CONSCIÊNCIA DA UNIDADE ESTÁ COMEÇANDO A DESPERTAR...

Acontecimentos de toda ordem, sejam eles cataclísmicos ou sociais também estão ajudando a impulsionar a humanidade a mudar o seu modo de pensar e de agir. Parece que finalmente chegou-se à conclusão de que como poderemos construir uma nova sociedade se a maioria de nós só enxergar o próprio umbigo? Descobrimos que sozinhos e separados não temos força nenhuma, é preciso se unir e compartilhar. É preciso espelhar a união que já existe entre nós nos planos superiores.

Outra coisa é que a cada dia que passa percebemos que muitas pessoas já estão mais conscientes da importância de se manter a integridade da Mãe Natureza, e também a de aceitar as diferenças culturais, religiosas e pessoais que existem entre nós seres humanos. As pessoas estão percebendo que realmente podem fazer a diferença e que aquilo que idealizaram como “Um Novo Mundo” está na capacidade das suas mãos de concretizá-lo.

Até mesmo eventos como terremotos, tsunamis, vulcões e furacões que estão acontecendo em maior intensidade, devem ser vistos como parte do processo evolutivo deste final de ciclo e, também como despertadores de consciência para algumas pessoas, essas certamente irão estar presentes nos lugares onde tais eventos ocorrerem. Na verdade a morte não deve ser vista como um castigo, mas apenas como passagem de um nível para outro, só mais uma lição a ser aprendida.

Outro resultado positivo dessa busca da humanidade pela Unidade é que ela tem atraído para si o acesso fácil à informação, isto é o acesso ao conhecimento e a verdade. Isso tem ajudado enormemente na liberação de parâmetros caducos que só ajudaram a manter a humanidade escravizada pelo poder atual. O meu pai já dizia que “aquele que precisa lutar pela sobrevivência não tem tempo e nem cabeça para lutar pela liberdade e se torna escravo do sistema”.

Por outro lado ainda existem muitas pessoas que tentam manter o controle deste atual sistema divulgando desinformação e medo, mas nada irá adiantar diante dos efeitos kármicos criados por elas mesmas. Mas, podem estar certos que a derrocada deste sistema é evidente e necessária para que uma nova etapa da humanidade terrestre tenha início.

Na verdade, precisamos entender que não basta saber que Todos Somos Um, é preciso praticar isso no dia a dia, é preciso viver o Amor incondicional a cada instante da existência. É preciso compartilhar, dividir, ajudar e somar as diferenças para que alcancemos a Paz e a União verdadeiras.

É chegada a hora da emancipação da humanidade, ela amadureceu e como resultado desse despertar magnífico a humanidade irá incorporar definitivamente a Consciência da Unidade no seu viver diário.

Lembrando que cada um de nós pode ajudar ainda mais a despertar a Consciência da UNIDADE realizando a cura interna das feridas emocionais que ainda nos separam do nosso centro de Paz. É importante buscar no silêncio quais são as nossas aflições ligadas ao Ego que podem estar atrasando a nossa caminhada em direção à LUZ.

Precisamos nos libertar do nosso passado de conflitos e das crenças baseadas na ilusão da separatividade. Precisamos assumir a nossa Luz interior e restabelecer a conexão com a Luz Cósmica, a nossa verdadeira nutridora e finalmente entender que a felicidade não é conquistada na compra compulsiva de bens materiais ou na conquista do amor de outra pessoa ou ainda no poder pessoal. Na verdade, a FELICIDADE é um estado alcançado pela alma quando ela compreende e vive a UNIDADE, quando ela assume a sua identidade e se deixa guiar pela Vontade Divina.

Acreditem, Somos Todos Um agora e sempre.

Namastê,

Márian