sábado, 22 de outubro de 2011



O AMOR TRANSFORMA E LIBERTA

Apesar da aproximação da vitória da Luz sobre as trevas aqui na Terra, ainda vivemos resquícios de uma época onde a violência, a ganância e desrespeito aos direitos humanos são vistos com naturalidade, enquanto os verdadeiros valores como o Amor, a Compaixão, o Respeito, a Honestidade e a Verdade são relegados à última instância. Além disso, a miséria e a fome assolam a África e outros países, são mais de 180 milhões de pessoas passando fome.

Infelizmente o individualismo tem prevalecido em todos os níveis, e até mesmo os que se dizem evoluídos espiritualmente se deixam levar por vibrações de medo e ilusão causados pela separatividade e se afastam do caminho do Amor, da doação. Rejeitam o serviço altruísta dizendo com medo que não devemos ajudar aqueles que estão se afogando, pois senão poderemos também ser levados para o fundo...

As pessoas não se doam mais, se esquecem do exemplo vital dos grandes mestres que mesmo não precisando encarnar novamente, se oferecem por Amor e retornam à vida material para ajudarem a despertar a humanidade para a Luz da Verdade. O amado mestre Jesus e muitos outros instrutores deixaram seu exemplo, mostrando que só através do Amor e da Compaixão pode se alcançar a libertação, a felicidade sublime. Elas se esquecem do exemplo das Hierarquias Superiores que são sempre pacientes com os nossos tropeços e estão sempre prontos a nos socorrerem, e, que também cuidam para manter o equilíbrio universal ajudando aqueles que ainda estão nas trevas a acordarem do sono eterno.

É certo que precisamos buscar o autoconhecimento, a nossa própria cura, mas o trabalho voluntário também ajuda a liberar a alma dos karmas criados no passado. Parece que as pessoas não sabem que cada um de nós tem a sua parcela de responsabilidade em relação ao que acontece ao Universo, infelizmente elas ainda se veem como partes separadas do Todo.

Estejamos certos que o Amor verdadeiro, a doação incondicional, é reconfortante e nunca dói ou cansa. Os buscadores que se doam de coração não se importam em perder a “vida material” para ajudar alguém que clama por ajuda. Podemos estar certos que o sacrifício consciente não causa nenhum sofrimento, só traz êxtase divino e a sensação do dever cumprido.

Diante de tanto descaso da maioria, entendemos que a entrega e a renúncia realmente só poderão ser feitas por aqueles que compreenderem a natureza do Todo, a sua participação na história do Universo e a sua corresponsabilidade por tudo o que acontece agora e sempre. Somente os despertos aprenderão a SER e a SERVIR com humildade e abnegação. A liberação só poderá acontecer para aqueles que compreenderem que o corpo e a personalidade são efêmeros enquanto que o espírito e a consciência são eternos, e somente esses aspectos devem ser preservados.

O que precisamos compreender é que se não deixarmos de ser prisioneiros da ilusão material, nos desapegarmos e nos tornarmos compassivos e amorosos, não conseguiremos progredir. O medo de se envolver e de se perder não deve ser cultivado pelos seguidores da Luz. Palavras animadoras daqueles que nos orientam afirmam que “aqueles que vêm da Luz serão iluminados sempre”, portanto precisamos acreditar que não nos perderemos jamais, que a Luz prevalecerá sempre e estará sempre presente para nos indicar o caminho certo. As trevas existem apenas para que possamos aprender a discernir, a fazermos escolhas mais evolutivas, e não para que tenhamos medo de enfrenta-las.

Luz é sinônimo de Amor, União e Compaixão; e trevas são sinônimos de medo, egoísmo e separatividade.

Todos nós somos realmente responsáveis por nossas escolhas, e sem dúvida existem pessoas que se negam a serem ajudadas, mas não podemos fechar os olhos e negar ajuda aqueles que precisam e não sabem como pedir. Não podemos nos abster de ajudar a quem quer que seja. Um gesto de carinho, de compaixão pode causar uma transformação incrível em alguém. Um exemplo de Amor pode transformar e até curar. Aquele que ama de verdade pode elevar a vibração de tudo e de todos ao seu redor... milagres acontecem!

Por acaso devemos orar só por aqueles que são merecedores de créditos de acordo com o “nosso julgamento”, que além de tudo é imperfeito, ou devemos orar por todos independente do seu estágio espiritual ou da sua crença? Ao ver alguém se aproximando de um buraco sem perceber, você vai questionar se ele merece ou não ser avisado que pode cair? Você deve saber então que se não avisá-lo também será responsável pela sua queda... Na verdade se alguém cair num buraco, todos nós sentiremos os reflexos da sua queda, da sua dor...

Pensem bem, por acaso o salva-vidas na beira da praia vai pedir para a pessoa que está se afogando, que ela assine um compromisso de tomar mais cuidado antes de salvá-la, só para ter certeza que o seu trabalho não vai ser em vão e que ela aprendeu alguma coisa com o fato? Será??????

Precisamos assumir a Consciência de Unidade e estendermos a mão aos necessitados de cura, de carinho, de aconchego, de compreensão e também de uma nova chance. O Amor não julga, não vacila, não coloca condições, não impõe, não espera nada... Apenas Ama, doa...

É muito fácil não se envolver não é mesmo? Ficar olhando o sofrimento alheio sem tomar uma atitude é muito cômodo, não? Isso é apego ao Eu menor, medo da não sobrevivência física, medo de perder o controle ao se envolver, coisas do Ego.

O que é ser Uno então? Prega-se tanto a União, mas na hora que é preciso comprovar isso na prática se vira o rosto? Devemos sim fazer a nossa parte, olhar para o lado, ao nosso redor, sentir quem está precisando de ajuda, arregaçar as mangas e dar o melhor de nós mesmos.

Jesus nos disse: Amai ao próximo como a ti mesmo.

Afinal viemos aqui para SER e SERVIR seguindo o caminho do Amor, do Dharma. Afinal de contas Somos Todos Um ou não?

Namastê,

Márian