quarta-feira, 27 de novembro de 2013



SENTIMENTOS E EMOÇÕES À FLOR DA PELE...

As emoções são o resultado da nossa percepção diante das circunstâncias da vida, sejam positivas ou negativas, sendo que essas últimas quando mal administradas podem causar desequilíbrios como depressão, stress, acessos de fúria, síndrome do pânico, etc. Devemos entender porém que a raiva, o medo e a tristeza são sentimentos naturais do ser humano e na verdade não devem ser reprimidos, mas observados para percebermos o que estão tentando nos mostrar. Geralmente esses sentimentos estão ligados a aspectos da nossa personalidade que precisam vir à tona, serem compreendidos e trabalhados para que a partir daí possamos agir de forma mais equilibrada. 

Devemos nos observar sempre e nos questionarmos de forma objetiva, numa postura de receptividade e abertura para as revelações que possivelmente teremos sobre nós mesmos. O medo, por exemplo, é um sentimento primitivo ligado ao instinto de sobrevivência, mas também está ligado à ilusão de separatividade, ao não-reconhecimento da nossa origem divina. Isso resulta de certa maneira em baixa autoestima, sensação de desamparo, abandono e fragilidade diante das questões da vida. É preciso então fazer o resgate da fé no Todo e em si mesmo para trazer de volta o sentimento de completude interna, tendo como resultado coragem e força para se ultrapassar limites.

Já a raiva geralmente é o resultado de um xeque-mate em nossas questões mais íntimas. Por que nos sentimos tão ofendidos e feridos no nosso orgulho quando alguém nos recrimina? Na verdade, só o ego se sente ofendido ou magoado, portanto devemos nos questionar quais serão as razões que podem estar por trás desses sentimentos. Será que não estamos precisando trabalhar a humildade ou o desapego? 

Portanto para lidarmos com as emoções precisamos estar centrados e serenos, buscando com calma compreender essas lições. Não podemos nos deixar levar por ondas emotivas e tomarmos atitudes puramente instintivas. É preciso respirar fundo e serenar a mente tentando visualizar as questões sob um ângulo impessoal e intuitivo. Assim sendo, vamos respirar fundo, acalmar o nosso coração e dizer pra nós mesmos quando estivermos com as “emoções à flor da pele”: Calma... tudo passa... Vamos deixar que os sentimentos esfriem antes de tomarmos qualquer decisão. Vamos nos lembrar que é importante diminuir o fluxo das emoções para que não se transformem em turbilhões incontroláveis. 

Portanto é preciso dominar a mente e para isso aconselhamos a meditação como uma prática sempre muito eficiente para isso. A disciplina mental e a observação constante do nosso ser através da sua prática, ajuda a conquistar um estado pacífico, tranquilo e distanciado da situação onde podemos ter uma noção ampla do que se passa no nosso interior e ao nosso redor. 

Além disso, é importante lembrar que, na verdade, somos seres conscientes, capazes e inteligentes para lidarmos com situações e emoções, tomando sempre decisões maduras e sensatas. Não nos esqueçamos que a paz e a serenidade já existem dentro de nós, precisamos apenas aprender a acessá-las para vivermos o dia a dia com equilíbrio e sensatez. Portanto, “muita calma nessa hora”, vamos nos silenciar, respirar profundamente e meditar para nos conhecermos melhor e lidarmos com as emoções harmoniosamente.


Namastê,

Márian


sábado, 16 de novembro de 2013




A VERDADEIRA CURA

A palavra cura vem do latim e tinha inicialmente o sentido de cuidado, atenção, diligência e zelo. Era empregado o verbo curo, curare, com o significado de 'cuidar de', 'olhar por', 'dar atenção a', 'tratar’.
A mudança de significado decorreu do fato de que a cura, no sentido de tratamento, na maioria das vezes, modifica o curso da doença e restabelece a saúde do enfermo. Assim, cura passou a significar também o restabelecimento da saúde, a volta ao estado sadio, e esta nova definição prevaleceu sobre a inicial no entendimento geral e no próprio vocabulário médico. (wikipedia)
Portanto, curar pode ser empregado tanto no sentido de tratar, cuidar de, como no sentido de debelar uma enfermidade, de restituir a saúde, de sarar.
Bem, mas o que queremos abordar aqui não é somente a cura do corpo físico, mas a verdadeira cura, a cura do SER integralmente, em todos os seus níveis.
Na verdade, a cura completa significa o fim de todo o sofrimento e dor, seja físico, mental ou emocional, e isso só acontece quando resgatamos a nossa verdadeira identidade despertando da ilusão da separatividade, compreendendo o nosso ser e sua jornada.
O processo de cura integral é o mesmo do autoconhecimento, isto é, à medida em que vamos nos conhecendo melhor, os nossos conflitos vão sendo pacificados e a dores causadas pelas feridas das batalhas internas vão sendo amenizadas. A verdadeira cura ocorre quando descobrimos as raízes do nosso sofrimento, quando entendemos que isto é causado por nossos apegos à personalidade, ao nosso ego, à desejos, ideias, crenças e preconceitos. Ao desejo de controlar, de possuir, à ilusão de ser alguém além de si mesmo.
Mas não devemos nos sentir culpados ou envergonhados por termos esses sentimentos, pois isso faz parte do nosso aprendizado. Somos inconscientes que na nossa essência somos perfeitos, portanto imaturos espiritualmente falando, inexperientes. É somente através da vida, da experiência, que alcançamos o entendimento de nós mesmos e do mundo. É através do autoconhecimento que vamos resgatando os princípios espirituais e as virtudes divinas esquecidas ou desvalorizadas. Na verdade, todas as experiências vividas se forem bem aproveitadas resultarão em vitória, ou seja, em cura.
Um dos fatores que mais atrapalha a nossa cura é a arrogância, infelizmente achamos que a personalidade que criamos para nós é perfeita, não paramos para ouvir ou acatar a experiência alheia como aprendizado, não aceitamos diferenças e nem nos esforçamos para silenciar a mente e escutar o nosso verdadeiro Eu, aquele que realmente tem todas as respostas e sabe qual a direção correta que devemos tomar.
Por isso, até que recuperemos a memória de quem somos realmente, a dor ainda será o meio mais primário de alcançar o entendimento e despertar para a Luz. Enquanto teimarmos em questões menores como a ira, a inveja, o ciúme, a ambição desmedida e outros sentimentos de baixa vibração, estaremos sujeitos ao sofrimento. Até que apaziguemos o nosso coração e aceitemos que o Amor é que deve comandar o nosso Ser, ainda seremos suplantados pela dor...
Mas chegará o momento em que através da investigação profunda e do despertar espiritual, nos depararemos com as causas das nossas doenças e nos libertaremos de todo o sofrimento. A conscientização do nosso verdadeiro Eu, aquele que é eterno, imutável e incorruptível pela morte, nos trará harmonia e plena paz.
Ocorrendo a verdadeira cura, ou melhor dizendo, o reconhecimento de que somos pura consciência, não sentiremos mais ansiedades em relação ao corpo físico. Compreenderemos a dor como oportunidade de aprendizado e não sofreremos mais por isso. Mesmo sabendo que devemos cuidar do nosso corpo, pois ele também faz parte da nossa consciência e tem um papel importante como instrumento pelo qual experimentamos a vida e nos libertamos da ignorância, não teremos mais nenhum apego a ele. Entenderemos que mesmo que a cura do corpo físico não seja alcançada, espiritualmente estaremos curados integralmente.

Márian

N.A - A cura verdadeira é alcançada pela própria pessoa, o terapeuta atua apenas como intermediário no processo ajudando a pessoa a se encontrar, a enxergar-se, a resgatar a sua essência, o seu verdadeiro EU.


terça-feira, 5 de novembro de 2013





VERDADE


Amigo,

encontre a Verdade dentro de si e estabeleça-a firme e clara na sua vida, assim os obstáculos que porventura surgirem no seu caminho desaparecerão sob a sua certeza no Absoluto...

Márian


segunda-feira, 4 de novembro de 2013



YOGA

Bom dia amigas e amigos!

Hoje, dia 4 de novembro de 2013, reiniciamos as nossas aulas de yoga no Espaço Sóluz!

Venha conhecer os maravilhosos efeitos dessa prática!

Todas as segundas e quartas às 19 horas.

Telefone de contato: 3681-7838 \ 8344-3037 com a professora Joana.

Rua Messias Pinto, 62. Centro - Lagoa Santa
 — em Espaço Sóluz

Conheça um pouco mais sobre esta prática milenar clicando no link abaixo
http://meditandosoluz.blogspot.com.br/p/yoga.html



2º ENCONTRO DE MEDITAÇÃO SOLUZ EM BH


Bom dia gente!
Marcamos o nosso próximo encontro em Belo Horizonte para o dia 30 de novembro de 2013, às 9:00 horas no Parque das Mangabeiras.

Você quer se encontrar? Quer enxergar aquilo que está encoberto pelas sombras, pela dúvida e pelos conflitos?
A meditação é a prática mais antiga que se conhece para isso...
E meditar não é tão difícil como vocês imaginam...

Nos nossos encontros ensinamos técnicas básicas e fazemos exercícios de meditação, irradiamos Luz e Paz para a humanidade e partilhamos mensagens Soluz.

Venha se juntar à nós, traga a sua essência para vivenciar momentos de alegria, paz e esclarecimento interior. ...sinta-se à vontade para convidar seus amigos também...Ficaremos muito felizes com a sua presença...

Aguardamos vocês com carinho...
Amor sempre Amor,
Namastê,

Márian 


INFORMAÇÕES: marian.luar@ig.com.br