quarta-feira, 8 de outubro de 2014



OS 10 NÍVEIS DA CONSCIÊNCIA HUMANA

Estamos vivenciando uma época onde as diferenças entre os níveis de consciência estão muito evidentes. Segundo Soluz isso é natural em um final de ciclo, pois o número de almas encarnadas é grande devido à necessidade e também à vontade de se libertarem da roda de encarnações. Acontece então de encarnarem almas desde o primeiro estágio de consciência até outras que já estão no último. Níveis diferentes de consciência então tem que conviver lado a lado, se friccionando, para que no final das contas a soma das diferenças resulte em aprendizado e evolução para todos. Já na etapa final do ciclo evolutivo global, começa a acontecer uma seleção natural para que almas afins sejam agrupadas e possam reiniciar o seu caminho evolutivo em outras esferas, planetas ou sistemas de acordo com sua vibração e entendimento. 

Temos que ter em mente que toda alma tem em si a centelha divina, e que consciente disso ou não, no seu íntimo ela busca sempre a evolução de forma instintiva e que isso só não acontece se ela não quiser, quando ela se deixa levar cegamente pela ilusão do ego, pelos aspectos distorcidos da sua personalidade. Na verdade o Universo é misericordioso e está sempre disposto a oferecer várias oportunidades de entendimento e transformação, tudo dependendo das escolhas determinadas pelo livre arbítrio de cada um.

Bem, vamos descrever aqui de forma resumida os 10 níveis que a consciência humana atravessa na sua longa jornada espiritual que vai desde a inconsciência total até a consciência da Unidade Cósmica. Estes estágios são caracterizados por aquilo que consome tempo e energia da pessoa, incluindo todo pensar, fazer e ter da pessoa, ou seja: o tempo, interesses, objetivos, desejos, pensamentos, planejamento, recursos financeiros e esforços. Esses estágios, portanto, refletem o resultado das experiências e das conquistas espirituais e podem ser divididos em dois períodos: Período das Trevas e Período da Iluminação.

A. PERÍODO DAS TREVAS - IGNORÂNCIA ESPIRITUAL 

Na Fase das Trevas o ser humano vive na ignorância, na escuridão espiritual. Ele não sabe quem ele é, de onde veio, como chegou aqui, qual é o propósito da vida ou como a vida funciona. Sua vida gira em torno do corpo e da matéria sempre com muito esforço, desejo e luta. Ele não percebe a si mesmo como um espírito e pode chegar a acreditar que foi criado a partir da própria matéria. Percebe os outros como concorrentes na luta para obter os “insuficientes e difíceis” bens do plano material. A sua ligação com a realidade superior geralmente é feita através das religiões, sistemas autoritários e dogmáticos que comumente o proíbem de questionar ou buscar a verdade fora do seu domínio. O Período das Trevas é caracterizado pela busca externa pelo prazer e também para evitar a dor, esforços cujos resultados são apenas momentâneos.

Os cinco níveis deste período são:

1. Sobrevivência. Neste primeiro nível, a pessoa se ocupa apenas em manter-se viva. A vida é uma luta constante para satisfazer as necessidades básicas do corpo que são: ar, água, alimentos, roupas e abrigo. Não lhe sobram nem tempo e nem energia para fazer algo além da luta pela sobrevivência. As energias predominantes são a frustração, o desespero, o medo e a tristeza. 

2. Segurança. No segundo nível, a pessoa já conquistou a sobrevivência imediata do primeiro nível e pode usar seu tempo e energia para garantir a sobrevivência no futuro. A sua consciência agora vai se concentrar em assegurar que primeiro ele, e depois seus entes queridos possam comer e ter um lugar para se abrigarem amanhã e nos dias subsequentes. Muitas pessoas sentem neste nível medo e ansiedade em relação a segurança no trabalho porque tem que pagar contas, pagar aluguel, comprar alimentos, etc. Elas então passam a acumular dinheiro e bens materiais na tentativa de garantir a sua segurança futura. A energia dominante é a ansiedade e o medo.

3. Sensação, Prazer. No terceiro nível, a pessoa sente que conseguiu controlar a sobrevivência e a segurança. Ela então passa a usar o seu tempo e energia para a gratificação dos sentidos físicos, na busca pelo prazer. Neste nível, ela vê a vida apenas como diversão. A pessoa imagina que a felicidade se resume ao bem-estar físico e ao prazer sexual. A pessoa passa a enaltecer os sentidos com roupas finas, joias, perfumes, artigos de luxo, música, festas, viagens, férias, sexo, drogas, etc. 

4. Domínio ou Poder Egoico. Neste nível, mesmo que as necessidades de obter sensações vão sendo satisfeitas, ainda assim a pessoa não se sente completamente feliz; ela começa então a se esforçar compulsivamente para satisfazer o objetivo imprescindível de felicidade. Nesta fase de Domínio, a pessoa anseia pelo poder sobre a matéria. Ela quer controlar as pessoas, lugares, coisas, acontecimentos e também acumular bens materiais e dinheiro. Ela busca por reconhecimento, prestígio, fama, posição social, dinheiro, política, negócios, ou pelo poder militar. Entretanto, isso é apenas poder egoico: energia usada para o benefício e glória de si mesmo, em oposição ao poder do Amor, onde tudo é feito para o bem de todos.

5. A Noite escura da Alma. A medida que a pessoa vai crescendo através do nível da Dominação, chega um momento em que as suas metas e valores já não satisfazem o espírito. A vida começa a ser vista como vazia e sem sentido. A pessoa observa a sua experiência com a matéria e começa a perguntar: Onde estou? Quem sou eu? O que estou fazendo aqui? Qual é o propósito da minha vida? Qual é o propósito de tudo isso? Tem que haver algo mais! 

A passagem completa pelas profundezas da noite escura pode levar muito tempo e geralmente é uma época extremamente dolorosa, cheia de frustração, desespero e depressão. A urgência para encontrar uma solução para o seu sofrimento leva o ser para a próxima fase: A Busca, o início do Período da Iluminação.

B. O PERÍODO DA ILUMINAÇÃO

A iluminação significa o Despertar da Luz, do verdadeiro conhecimento da natureza da existência. É a transformação de uma pessoa que vive apenas a realidade, valores e comportamentos mundanos, em uma pessoa que realiza a busca interna para elevar-se aos níveis superiores de entendimento. É o despertar do espírito em si mesmo. A pessoa começa a usar seu tempo e energia em valores e esforços espirituais, no renascimento do Espírito; no estudo e crescimento pessoal; no amor e serviço aos outros, e na iluminação, na realização interna.

6. A Busca. A dor da noite escura da alma impulsiona o ser a começar a sua busca pela Luz, para o alívio do sofrimento, por respostas às suas questões internas, para o conhecimento verdadeiro. As suas crenças religiosas não respondem as suas questões internas e não lhe mostram a Luz Real. A pessoa começa então a procurar conhecimento, a investigar outras religiões tradicionais mas principalmente fora delas, lendo livros e frequentando cursos para investigar a espiritualidade. A pessoa começa a acumular conhecimento espiritual.

7. O Primeiro Despertar. A Primeira Luz, o Alvorecer. Na fase anterior a pessoa compreendeu que a vida é fundamentalmente espiritual e acumulou suficiente conhecimento a respeito. A pessoa começa a ver que o seu sofrimento durante a Noite Escura da Alma é um problema espiritual. Acontece que apesar do conhecimento adquirido, a Noite Escura ainda está muito presente e a pessoa ainda está muito confusa sobre a real natureza da espiritualidade. 

8. O Segundo Despertar. O Amanhecer, A Realidade. A pessoa continua a ler, estudar e a frequentar cursos; e a quantidade e qualidade do verdadeiro conhecimento espiritual, a Luz, aumenta e as trevas da alma diminuem. Eventualmente, a Luz como volume total da realidade e da convicção do espírito, passa a marca de 50%: agora é mais real para o ser que a vida é espiritual do que ele em sua ignorância e confusão imaginava durante o período das Trevas. Neste ponto, quando a luz é de 51% ou mais, quando o espírito recupera os reais valores, é o segundo Despertar. No entanto, especialmente no início, quando é apenas 51% na maior parte do tempo, a pessoa ainda terá períodos de grande confusão, ataques de dúvidas e desespero como acontecia na noite escura.

9. Comprometimento. Entretanto, a Luz da Verdade que a pessoa vem alimentando no seu interior torna-se tão forte que ela não pode mais ignorar o seu brilho e o seu chamado. Ela agora começa a obedecer a orientação de Jesus: “Buscai primeiro o Reino dos Céus”. Anterior a esta fase, não importa quanta atenção a pessoa dava a sua espiritualidade, isto ainda não era sua prioridade. Ela ainda gastava mais Tempo e Energia para as coisas do mundo do que para as espirituais. Antes do nível do Comprometimento, a pessoa dava mais importância à família, ao trabalho, prazer, fama ou fortuna, do que à espiritualidade. O nível de Comprometimento começa quando a pessoa inverte as suas prioridades. Agora, a espiritualidade é mais importante do que os assuntos mundanos. Ela intensifica a prática da meditação.

Esta fase também é chamada de Guerreiro do primeiro nível, quando a pessoa entra em "profunda batalha" com o seu eu inferior para eliminar todos os aspectos negativos e dissolver os seus padrões limitadores. Quando a pessoa ataca as suas ideias e crenças negativas, o Guerreiro enfrenta a tudo não importa o quão doloroso seja, pois isso ajuda o seu ser a crescer espiritualmente. 

10. Iluminação. A viagem da escuridão para a iluminação finalmente termina na Totalidade da Luz. 

Este estado é descrito em várias filosofias como: O Terceiro Despertar; o retorno, reintegração à Unidade, Consciência Cósmica, Nirvana, Samadhi, o Além, o Reino dos Céus, Auto Realização, Realização em Deus, o Nascimento do Espírito, para citar apenas alguns. É a recuperação da verdadeira identidade: o Infinito Ser Divino. A compreensão do que é o estado de iluminação está muito além da capacidade de entendimento do ser humano e nada podemos dizer sobre isso para transmitir realmente o que é. A pessoa transcende os limites grosseiros da matéria (padrões opressores) e se reintegra conscientemente ao UM. Ela agora vivencia a União com O TUDO O QUE É, ela se une literalmente a Deus. 

Este é o estado de Buda e do Cristo. Este estado parece ter dois níveis. No primeiro nível, a individualidade permanece. O ser pode permanecer um indivíduo, e fazê-lo por toda a eternidade; ou voltar completamente ao Um, como lhe agradar, dissolvendo toda a sua individualidade. No entanto, por causa das leis da polaridade, este último estágio acabará por exigir uma outra descida à individualidade limitada. 

A iluminação é o ponto culminante da vida na Terra. No entanto, é apenas o começo da verdadeira existência espiritual, uma vez que é o ponto de reentrada de um espírito totalmente livre e Auto Realizado que volta para a Totalidade Cósmica, que consiste em inúmeros universos.